7.4.08

AGORA, OS AFETOS VÊM À TONA

Ei.

Sou eu quem te abriga ao longo dos anos. O rosto, coberto e massacrado, carrega dores que vêm de muito longe, e você me faz escravo da lembrança de antepassados que sucumbiram aos horrores da escravidão. A voz que me fala é muda, às vezes sussurrante, rouca...não encontra eco. A voz que me fala está presa em sufocadas palavras, amordaçada boca, fustigado rosto por máscara de folha de flandres que calam minha voz nos nós formados na garganta por lágrimas engolidas.

Chorar é sinal de fraqueza, disseram-me, e eu acreditei. Então, melhor é fingir-se durão, engolir todos os entulhos que envenenam e continuar na competição. Mas sou eu quem sofre suas dores.

Basta! Agora, os afetos vêm à tona e reclamo, clamo, imploro por cuidados. Agora, enxergando-me por diversos ângulos, percebo-me sendo você, corpo e alma como reflexo do mundo e de mim, criatura com tamanha complexidade que às vezes se vê de fora, como se o reflexo no espelho fosse mais forte que o olhar que o vê. Então, pareço-me vulto de mim, fora de mim, a me observar de longe. E sou você. E não vejo outra saída. Somos, eu e você, a via mais próxima para sair dessa articulação dolorosa que travamos no congestionamento desse temporal....

Com as lentes embaçadas, acordo, escuto o vento e os pingos da chuva que entram no meu quarto; fecho a janela, encaro o espelho e , no reflexo que me olha, deparo-me com o ser estranho que sou. Lágrimas sorridentes escorrem pelo meu rosto, pulam saltitantes e se mostram como um frescor torrencial que flui para dentro de mim, com a percepção tranqüila que agora tenho, no finalzinho da madrugada.

34 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Ei, Jacinta, me agradou o tom coloquial que você imprimiu a esse texto sentimental (não sentimentalista). Um abraço.

Fernando Rozano disse...

afeto, puro afeto e sentimento à flor do sentimento. belíssimo texto. abraços.

Jacinta Correia disse...

Partilhar afectos... é imperativo para o equibrio emocional. O espelho revela, mais do que o aspecto físico, o interior de nós mesmos... a verdade do que sentimos.
Gostei do texto. Bj e boa semana.

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Meu interior é feito de terra vermelha...
Beijos

Rubens da Cunha disse...

Obrigado pela visita ao Casa de Paragens, hospede-se sempre que quiser. gostei de florescer em tua escrita delicada

Eurico disse...

Teu blog é um oásis, onde sempre que posso venho pra me reenergizar, para reflorescer.
Abraçamigo

Ilaine disse...

Jacinta!

Rosto massacrado, sufocadas palavras, lágrimas engolidas...

Sentimentos múltiplos, revelados numa linda crônica.

É muito bom vir aqui!

bj

Layla Lauar disse...

Que texto maravilhoso, fiquei emocionada com ele, talvez porque tenha dificuldade em chorar...costumo dizer que tem mais sal do que água nas minhas lágrimas, isso as torna pesadas, não correm livres pelo meu rosto, ficam represadas no peito...

Suas palavras são lindas, nunca deixe que fiquem presas na garganta...

Um beijo de admiração.

Beto Matos disse...

Gosto do sentimento na letra. Gosto da letra sentida, escrita, falada, que se angustia sem causar angústia.
Lindo!!!!!!!!!!

ana poeta. disse...

Jacinta.


Grata supresa a tua visita ao meu blog e costumo sempre retribuir as visitas e gentilezas, vim conferir as tuas letras, confesso que gostei muito do q vi e li, voltarei mais vezes pra te ler c mais calma. O texto q acabei de ler é denso e reflexivo, com uma leitura mais atenta lhe diria q esta prosa é o avesso de ti. Muito bom.

Beijos Poéticos.
;**

Alice disse...

Ser o outro, ser quem somos. Romântico o seu texto e me fez sentir. Sentir como sinto agora - sendo eu mesma e sendo outro. Tão bom ser assim, não? Mesmo que traga um pouco de saudade e melancolia, melhor ser outro que ser único. Adorei, Jacinta.

Bjs...

Letícia

Poetisa da Alma disse...

Que belíssima expressão da alma!
Quantas vezes nos deparamos com nosso íntimo nessa busca incessante de nos conhecermos a fundo.
Jacinta... que Deus a ilumine a cada novo dia!
Meu eterno carinho

João Neto disse...

"Chorar é sinal de fraqueza, disseram-me, e eu acreditei. Então, melhor é fingir-se durão, engolir todos os entulhos que envenenam e continuar na competição. Mas sou eu quem sofre suas dores." (Jacinta)

E eu também acreditei e por vezes me vejo com um nó danado na garganta sem saber muito o porque...

E você sabe imprimir uma atmosfera perfeita ao seu escrever.

Obrigado pela visita, pelas palavras e volte sempre.

Gi disse...

Que beleza de texto onde aqui e ali vamos identificando um pouco das nossas memórias, dos nossos sentires, gostei.

um beijinho

* hemisfério norte disse...

Olá Jacinta. Feliz com a primavera?!?! :)
Up's aqui é primavera...
Fui convidada a participar num pequeno espaço onde só cabem pequenas coisas, gostaria de ter sua visita e seu comentário
obrigada
bj
a.
http://miniminimos.blogspot.com/

Sílvio do Minimínimos disse...

Olá, Jacinta...

Jacinta... esse nome me leva a sentimentos.

Você tem no nome a essência minimalista.

Volte sempre ao Minimínimos.

Sílvio

Eurico disse...

Bom ter tua visita! Grato e sempre me sinto bem aqui, reflorescendo.
Abraçamigo.

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Em primeiro lugar, o comentário que diz:

"Blogger Akinogal disse...

See Please Here

9/4/08 7:32 PM"

é um Vírus, só você pode excluí-lo e por favor, não cliquem no "Here"!

Passei para te desejar um bom fim de semana!
Beijos!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Jacinta, gostei da express�o, "l�grimas sorridentes", ontem escrevi umas frases para uns amigos e usei "cansa�o alegre"...pois era exatamente como me sentia ap�s termos feito um trabalho em equipe, o resultado foi t�o bom, que saiu esta express�o, fiquei aqui tentando imaginar as suas l�grimas sorridentes...um abra�o na alma...bom fim de semana para voc�...

Roberto Mauro disse...

obrigado pela sua visita e comentário. Seu blog é muito bem feito e muito bem escrito. Nos inspira e isso é bom.
Parabens, voltarei sempre e apareça.
E que tudo que queiras aconteça.

Luis Eustáquio Soares disse...

no congestionamento do temporal, somos, no nós de nós, a via mais próxima pra fazer da chuva torrentes de arco-íris, sementes na terra em que erramos, mas que, juntos e conjuntos, podemos sim florescer e florescermos.
belo texto, amiga.
saudações,
luis

Célia de Lima disse...

Flui pra dentro da gente o que vc pensa, sente, nos conta. Simplesmente lindo! :-) Beijocas. Bom fim de semana!

eder ribeiro disse...

quem não chora se aprisiona por correntes que nunca serão quebradas, posta que são filhas das mágoas. bjos querida amiga.

APPedrosa disse...

Quanto sentimento junto! Que bom encontrar isso em uma manhã de domingo, depois de um sábado nada bom. beijo

Benno Assmann disse...

Acho que as pessoas vivem muito mais pelo outros do que por si mesmos, se importam de mais como são vistas pelos outros, vivem para moldar essa visão e não se importam com a imagem que fazem de si mesmas. acabam vendo em si mesmas uma pessoa estranha, moldada pelos outros e no momento que percebem isso acham que perderam tempo, que disperdiçaram a oportunidade de serem elas mesmas... este momento de auto-percepção é dos mais elevados momentos da vida de uma pessoa. prazer em conhecer seu blog, um abraço.
Benno
http:\\asnoitesinsones.blogspot.com

Madalena Barranco disse...

Querida Jacinta, a sensibilidade do ser humano é como um cristal de sal no espelho do olhar... Lindo texto!
Beijos

Mary disse...

"Chorar é sinal de fraqueza, disseram-me, e eu acreditei."

Chorar, pra mim, é a única forma de libertar minhas dores e alegrias. E as lágrimas me mostram o quanto sou sensível ao mundo e o quanto posso perceber as nuances sutis das situações e das pessoas.
Se sofro, aprendo a refletir. Se me alegro, aprendo a viver!

Um super beijo pra ti e ótimo início de semana.
;)

Adriano Caroso disse...

Lindo texto. Muita sensibilidade. "Lágrimas sorridentes". Genial. Beijos!

* hemisfério norte disse...

obrigada por ter aparecido.
sua presença faz florir qualquer jardim
bj
a

LAU SIQUEIRA disse...

� assim quando os afetos transbordam... a gente respira melhor quando l� um texo sens�vel.
beijos!

Loba disse...

que texto, moça! de grande beleza e sensibilidade. chorar é lavar os olhos para a vida. e de certa forma, recomeçar.
um beijo carinhoso.

Plinio Uhl disse...

nossa! é o texto que mais sentimentos encerra e que já li aqui. e você vai de um a outro com uma naturalidade veloz.

o melhor é encontrar eco num momento de autoconhecimento de outra pessoa.

Beijos.

ROSÁCEA disse...

Lindos escritos Jacinta.
Adorei.

Friendlyone disse...

A madrugada tem o poder de nos fazer enxergar coisas, liberar sentimentos outrora tão reprimidos. Faz tão bem que na próxima manhã dá até pra ler textos de amor e nos fazer sonhar de novo!

Beijos... Sempre por aqui!