9.7.09


E, se, não sobressaírem as cores? Se eu não mais reconhecer o cheiro do vermelho?

...

Por que eu? Por que isso acontece comigo? O que vejo é reverberação da minha ansiedade, e, nada apreendo como resposta. Sinto apenas o silêncio de quem me ouve, quem sabe, escutando no desespero do meu olhar, o desejo de enxergar para além de um canal estreito.

16 comentários:

Ana Lúcia. disse...

JáJá,
como é especial sentir o silêncio,
ver as cores do silêncio,
reconhecer o aroma do silêncio,
e, no silêncio, viver o abraço de Deus n´alma que conhece a paz!!
Sempre tudo lindo aqui!
Eis a profundidade suplime e doce!
Saudade!
Beijãozinho e abração apertadinho.

Ana Lúcia. disse...

JáJá,
como é especial sentir o silêncio,
ver as cores do silêncio,
reconhecer o aroma do silêncio,
e, no silêncio, viver o abraço de Deus n´alma que conhece a paz!!
Sempre tudo lindo aqui!
Eis a profundidade sublime e doce!
Saudade!
Beijãozinho e abração apertadinho.

Éverton Vidal disse...

Legal isso. Você é sinestésica.
E estou adorando seus rabiscos. Também tenho os meus.
Bj!

Euza disse...

Aprende sim, querida. Aprende a ser cada vez mais sensível! Escutar o siêncio exige esta sensibilidade e vc a tem sobrando!
Menina, obrigada pela gostosa recepção! Desculpe nem ter respondido seu mail, mas deu pra sacar que os projetos estão de pé, né? Não vamos nos separar! rs...
Beijocas

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Seguimos os desejos!
Beijos!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Jacinta, quanto tempo, valeu a visita. As pinturas são suas? Gostei do seu talento, brincar com as cores é uma arte complicada...
Melhor ainda fica quando se une a ela um poema. Escutar um olhar é saber ouvir profundamente, Bela postagem...
Um abraço na alma...vamos nos sumir não...rsrs
Bom fim de semana...

VeraBasile disse...

Oi Jacinta!!!
Que lindo está seu blog c sua arte!! Vc me escreveu dizendo, como vc imagina a criação e elaboração de uma pintura. Te afirmo, as "coisas" não são assim tão delicadas, é um prazer...não posso negar, mas existe o tormento de nunca encontrar o tom, a forma...a perfeição do idealizado...mas é um prazer, o maior deles pra mim. Estou bem no começo, e espero ter o tempo necessário para atingir meus sonhos. Vou ter!!rs
Obrigada por fazer parte dos meus amigos, pouquíssimos...te garanto.
mil bjs

Ilaine disse...

Jacinta!

No olhar está a maciez de um silêncio e o segredo de uma palavra ainda não dita.

Amiga, gosto demais de teus escritos: uma composição de sensibilidade. Lindos!

Beijo no coração

Aline Christal disse...

"Se eu não mais reconhecer o cheiro do vermelho?"

Menina, você não imagina o quanto esta frase mexeu comigo...isso é mais que poesia, é tatuagem na pele com certeza...amei!

Sempre bom estar aqui, sempre bom te-la em meu humilde blog.

Beijos no coração.

Cris disse...

Você sempre reconhecerá os cheiros, linda, e não só do vermelho, pois você é artista.

Beijo, querida.

Francisco Sobreira disse...

Muito,muito interessante, Jacinta - o "cheiro" da cor, a "visão" da ansiedade, alguém que "sente" o desespero no olhar, em tudo isso a revelação do estado de uma alma. Um abraço afetuoso.

Eurico disse...

Linda abstrações cromáticas. E belíssmos também os textos que as acompanham.
Parabéns.
E o blogue está clássico, elegante, cheio de luz!

Abraçamigo.

Dilberto L. Rosa disse...

Rapaz, o cheiro do vermelho é mesmo forte e pulsante como este seu blogue bem traçado! PArabéns pelos textos e pelas telas (todas feitas no computador?)! Até a volta!

guru martins disse...

...pois é,
quem sabe?

bj

CeciLia disse...

Jacinta, querida
Também eu sinto o cheiro das cores. Que surpresa! Pensei ser a única que viajava...rss...
Beijos, adoro vir aqui.

Oculta disse...

Tudo aqui é rico em simbologia...
Metáforas...
Provo as cores...
Ouço o silêncio que grita em tons cada vez mais alto...
Viajo em seu mundo...

Um beijo