7.10.09

DESASSOSSEGO

Fugindo dos pensamentos os olhos se fixam na tela branquinha. As mãos, insatisfeitas, querem sair do teclado e tocar nas antenas que emitem sinais de teimosia. Não há nada de novo para escrever. Não há inspiração adequada e o que se tem é “pensação” atropelando a saída e comprimindo a ação. Transborda-se ar, falta oxigênio para eliminar os resíduos acumulados em insistentes pensamentos... pensamentos...pensamentos, ressentindo o fluxo de nevoeiro afetando o coração.

Ah pensamentos! Para quê ocupar espaços que não lhes pertencem?

6 comentários:

Osvaldo disse...

Jacinta;

"não há inspiraçã"... O que seria se houvesse, se sem ela, a inspiração, se escrevem momentos tão belos de literatura!...

bjs, Jacinta. É sempre um enorme prazer te visitar.
Osvaldo

Francisco Sobreira disse...

Jacinta,
Quantas vezes nos ocorre essa falta de assunto. Às vezes, surge uma ideia, mas não a achamos interessante. Isso vem acontecendo amiúde comigo. Mudando: ainda não coloquei no Luzes da Cidade o selinho que você me ofereceu com tanta gentileza, porque, quase analfabeto que sou em Net, estou pedido a ajuda da nossa querida Claudinha. Infelizmente, ela, no momento, está passando por dois graves problemas e ainda não pôde atender o meu pedido, que sempre faz com presteza e satisfação. Um grande abraço.

Mai disse...

É, amiga, é desse desassossego que emerge a nova lógica da arte.
Muito bom.
Agora, cá prá nós, eu vi a cena das mãos querendo sair do teclado e puxar os cabelos ou segurar a cabeça...(risos)

Beijos, amiga

Dauri Batisti disse...

A pensação de fato, as vezes, é problema. Mas escrevendo lindo do jeito que você escreve, logo a "pensação" transforma-se em beleza.

Beijo.

Beti Timm disse...

Os pensamentos quase sempre estão em motim. São rebeldes, insanos em algumas vezes. Mas os seus são transformados em lindas palavras.

Deixe sempre eles assim rebeldes para nos premiar com essas pérolas.

Beijinhos

Miguel S. G. Chammas disse...

Jacinta amiga, os pensamentos nos levam em viagens inimagináveis.
Mas eles precisam existir e ocupar seus espaços.
Achei lindo o teu desabafo.