30.1.08

Apesar do medo
existo
e acolho o pulsar do viver
com toda beleza que há na existência

11 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Jacinta,
Não é que não goste dos poemas longos. Gosto, sim, se, de fato, é bom. Mas tenho uma estima especial por aqueles poemas em que o poeta diz o essencial em poucos versos. Porque isso não é facil. Como fez você com esse poema, que, nem preciso dizer, me agradou bastante. Grande abraço.

Lunna Montez'zinny disse...

O medo sempre nos permite mais. É um desafio e encará-los faz de nós humanos. E isso sempre vale a pena.
Beijos

Nanda Nascimento disse...

Não é fácil apesar de tudo, usufruir o máximo da essência desta vida.

Beijos e flores!!

Fco disse...

Primeiro, obrigado por visitar o meu blog. Estou iniciando há pouco tempo... Fiquei feliz com o seu comentário. Será sempre bem vinda.

Aproveitei para conhecer o seu. Gostei do nome Florescer. Florescer tem com sinônimo: Desenvolver. Acredito que é isso que deve acontecer. Devemos desenvolver e acolher cada fase. Deve entender o que se passa e buscar crescer e superar cada momento de medo... O medo é um companheiro que alerta... ele deve existir e nós conhecê-lo para saber os passos a dar.

Um abraço!

John Doe disse...

a beleza e a tristeza tb...

héber sales disse...

Você me lembrou um poema em prosa de Cansinos-Asséns em que ele pede a Deus que o defenda, que o salve da beleza, porque, dizia ele, "há beleza demais no mundo".
Um beijo.

lúcia Elena disse...

Ainda bem que há pessoas para nos lembrar que também temos direito de errar de vez em quando, afinal somos humanos...

Bjo,
Lúcia Elena

Luis Pessoa disse...

obrigado pela sua passagem no meu blog

Luis Pessoa disse...

obrigado pela sua passagem no meu blog

verabasile disse...

Lindo Jacinta!!!!
bjs

*andorinharos@ disse...

O que seria do homem sem seus medos, dúvidas, receios... já que a coragem afronta e se perde com o tempo. Graças a Deus por meus medos, pois eles me fazem ser mais humana e igual.
Muito lindo!
parabéns.