2.2.08

PEDAÇOS (d) VERSOS

Desajeitada que sou, perdi o bonde e a esperança. E agora? Devo tomar qualquer coisa ou suidicar-me? Pensando bem, melhor mesmo é tomar qualquer coisa, bebendo, aos goles, o meu infinito desejo inexplicável. Será liberdade o que desejo? Não: liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome pois, nem mesmo sei, o que me desorganiza. O que sei é que eu quero... Ah! pouco sei. Só sei que Quero amar sem limites e perdoar-me, radicalmente, pois o perdão radical gera alegria, exorciza doenças, mata o medo e me possibilita ser flexível. Aceitando que não há perfeição no viver, vivo melhor, pois o perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito. Então, se quero, vou continuar. Vou recomeçar na derrota, renunciar a palavras e pensamentos negativos e resistir. Sim: Vou resistir, vou existir. Existir, enquanto houver poesia, e escutar o que a palavra fala pra mim e fala de mim. Existir, e, mesmo que por caminhos tortos, fazer parcerias para celebrar as conquistas que faço. Existir, e, enxergar no mar, manso e bravo, que também sou eu, o que preciso entender para continuar o caminho, como um ser que se aceita Ser, humano. E, porque existo insisto, pra quê ser perfeito? Melhor ser, Humano. Os dias são como são: Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol. Ambos existem. E, se, cada um é como é, que bom! Existe beleza nas contradições. Existe e não há escapatória: ela me persegue. A beleza vai me pegar e me impregnar da ternura que falta para juntar meus pedaços diversos e, redescobrir, no meu EU desajeitado, que metade de mim é amor e a outra metade também.

Pedaços de versos

Carlos Drumond de Andrade
Fernando Pessoa
Clarice Lispector
Adélia Prado
Cora Coralina
Dauri Batisti
Osvaldo Montenegro
Foto: Berenice-SP

26 comentários:

Gi disse...

Um belo arranjo que aqui fizeste :)

Quase um yin e yang. Diferentes, nenhum mais importante que o outro. Apenas se complementam.

Um beijinho

Flavia disse...

Linda "colcha de retalhos"!
Metade de mim também é amor, já a outra metade estou descobrindo aos poucos... rsrsrs...

Bjos!

Elcio Tuiribepi disse...

Olá Jacinta...valeu a visita...tenho outros "eus" e aos poucos vou postando...Lendo esta sua mescla de autores fico com a frase do Oswaldo Montenegro, muito linda esta sua canção que foi inspirada no poema "Traduzir-se" do Ferreira Goulart. Confesso que adoro os dois poemas musicados, e por esse motivo acabei escrevendo um que recebeu o titulo de Fragmentos...valeuuu...parabéns pelo seu blog...e como disse a Flávia aí em cima...uma linda "colcha de retalhos"...um abraço...

Cris disse...

Ei menina, isso que vc fêz é show.
como é que consegue?
As analogias que você faz (Clara, Fragilidade...)me deixam boqueaberta.
Agora, essa junção de palavras numa intertextualização perfeita.
Eu estou me sentindo, escrevendo aqui, mas é que ficou muito legal.
Fui lendo e me percebendo nos pedaços e no todo do texto.
E que expressão diferente: a beleza vai me pegar. Fico arrepiada, pensando que é disto que todos precisamos. Da beleza que contagie as pessoas para fazerem um mundo mais bonito, com mais amor e paz.
Um abraço

Cris

Lunna Montez'zinny disse...

E ao ler-te, fico assim, sem palavras, em silencio, curtindo o sorriso que como teus versos, florescem...
Que salutar sua forma de florescer. Sempre tão calma e com tanta melodia, impossível não se sentir pétala num momento como este.
Abraços meus e uma linda semana para sua gentil e encantadora alma.

Madalena Barranco disse...

Querida Jacinta, você juntou tão bem os "pedaços de versos" que eu julgava ler um poema completo até descobrir-lhes a fórmula. Adorei a mensagem! Beijos.

renata disse...

Oi Jacinta, me pegaste em plena atualiza�o... ehehehe, pensava em falar sobre meus primeiros fios prateados, mas mudei de id�ia, de fio a fio, fui parar nas cavernas , sempre buscando a poesia, essa musa fugidia...
parabens pelo teu blog, sempre com poemas e pensamentos que trazem inspira�o e elevam o espirito.
Coisa rarissima hoje em dia!
Abra�os
renata
(letra e fel)

Edvane disse...

Como sempre seu texto é maravilhoso. Peguei seu endereço com a Lúcia e vim conferir o que vc escreveu sobre a menina que se matou. E aí, fui lendo, lendo.
Nesse texto, os encaixes são perfeitos - dá a sensação de ser um texto único. E o que fica é melhor ainda. "Pra quê ser perfeita?".
Tenho me perguntado isso.

Um abraço
Edvane

Toda Poesia disse...

Uma fã? Então somos fãs uma da outra...rs...Bem, acho que já disse antes, mas devo voltar aqui muitas vezes, já que, aqui, encontro coisas que gosto muito:letras, música e flores. Não é apenas pra retribuir tuas gentilezas, não.Seria pequeno demais isso. Não costumo fazê-lo. É porque gostei mesmo de vir aqui, viu? Beijos.Fiquei bem.

DE-PROPOSITO disse...

Perder a esperança?!... Qual quê,... é seguir em frente sempre cabeça erguida. E o facto de passar um autocarro, logo surgirá outro.
Felicidades.
Manuel

Dauri Batisti disse...

Oi Jacinta,

Parabéns. Ficou muito bom seu texto. Bem assim sua cara. Fiquei lisonjeado em ver meu verso "Não há escapatória, ela me persegue,
a beleza vai me pegar" em meio a tão grandes nomes. Obrigado!

Sei que daria trabalho, mas ficaria bom especificar que frase é de quem. As referências não permitem, pra quem não sabe, identificar quem é quem na letra azul.

Um beijo.

Francisco Sobreira disse...

Muito boa essa "colagem" de versos alheios com os seus. Sim, porque, é poesia, ou prosa poética, no que é de sua autoria. Abraço.

Jana disse...

a idéia é muito boa! e o texto também ficou ótimo...

"que metade de mim é amor e a outra metade também", e o final combinou perfeitamente!

adorei!

Juliana Caribé disse...

Você escolheu escritores fantásticos.
Muito boa seleção!
Beijos.

Sandra Leite disse...

Oi Jacinta

Que bacana esse colcha de retalhos e sentimentos que vc propôs aqui, heim?
Ahhhh..o amor...estava desistindo dele e eis que vem uma fada madrinha e PLIM....conheci um principe.
Mentira, conheci um homem comum , sujeito a todos os erros...mas que me fez sentir o calafrio de novo.

Bom né?

beijos

Rui Caetano disse...

Uma boa colecção de textos, muito bem escolhidos.

Ellemos disse...

Ual! Que texto! Maravilhoso jeito de reunir "pedaços" de nomes tão grandes!

Gosto deste seu florido espaço!

Obrigada por sua presença no meu!

Beijos!

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Querida
Fantástica ficou sua colcha de retalhos... é doce dormir em versos!
Hoje vou usar suas palavras:
"Apesar do medo
existo
e acolho o pulsar do viver
com toda beleza que há na existência"
Apesar de tudo, aprendi a optar sempre por viver, por mim!
beijos

Friendlyone disse...

Isso que é juntar fragmentos!!! Viu... Se quiser trocar uma idéia qualquer hora dessas... friendlyone_2004@hotmail.com

Disguiser disse...

Ei Jacinta,

Q diálogo! Marcar convergências ou mesmo servir-se da condição volátil dos versos, das idéias promovendo esse quadro ficou legal.
Você explicitou o q fazemos em nossas tramas, vamos tecendo um mosaico de referências implícitas q colhemos em nossas vivências literárias. "Colorido" com criatividade isso fica muito interessante.

:^D

beijôs

benechaves disse...

Oi,oi!

Uma bonita junção de autores famosos completada com frases suas. E tudo ficou perfeito, apesar da imperfeição da vida.

Um beijo mais-que-perfeito...

Felipe Nobrega disse...

LINDO FICOU!

Nanda Nascimento disse...

Adoro as frases da Clarice,ainda mais em conjunto com Fernando Pessoa, com um toque especial seu, ficou ótimo!

Beijos e flores!!

John Doe disse...

perfeito, fiz algo assim pro colégio tempos atrás mas não tão bom, nunca tão bom...

adelaide amorim disse...

Bonito, Jacinta, gostei do resultado final - além de tudo, colorido...
Beijo.

Lyani disse...

Nossa que lindo!
Colça de retalhos tecida com muito carinho e flores!
Amei...
Saudades de vir aqui, desculpe a ausência, estou voltando aos poucos a visitar os blogs queridos!
Bjos