28.4.08

Participando da blogagem coletiva, proposta pelo acqua, tenho a oportunidade de externar meus aplausos ao poeta que diz: “É pelas mãos que se faz”. É... em suas mãos, escuto a sensibilidade de "fotografar o perfume" nas letras. De suas mãos, vem a palavra que me surpreende pela intertextualização à dinâmica do viver, encanta-me por não se esgotar em si mesma e me deixa extasiada com a possibilidade de diversas leituras, interpretações e sentimentos que a mim propõe. E, passeando “no jardim, na fronteira das lavras onde se cortam as palavras', vejo o 'amor-de-escrever', a entrega e o deixar-se seduzir traduzindo-se na palavra que, cuidadosamente 'talhada, com sopros e respiros suaves”, faz-se arte, nascendo das mãos do poeta Capixaba – Dauri Batisti – para compor o celeiro de preciosidades que encontro no essapalavra. Sinta comigo...


COMO VOCÊ SABE

Eu sou assim
como você sabe.
Vendedor de flores no mercado,
ao lado da banca de peixes.
Mas meu pai era bonito
e minha mãe linda, linda é.
Eu sou assim,
como você sabe,
estranho, tímido, pago pra não falar.
Padeço de saudades do que não vivi,
sonho que moro nas casas que existiam no lugar dos prédios,
viajo todos os dias na Enterprise como co-piloto do capitão Kirk.
Sofro e percebo que sou assim,
como você sabe,
desigual até no modo de sofrer.
Às pessoas o tempo assusta, delas tira a beleza, a saúde...
Mas eu, eu não me assusto, nem me entristeço.
Sofro
e me consolo.
Meu pai era bonito
e minha mãe linda, linda é.
Não há escapatória,
ela me persegue,
a beleza vai me pegar.

Dauri Batisti

25 comentários:

Lunna Montez'zinny disse...

Bom dia pétalas de flor ao sol. Adorei o poema, aliás, hoje meu dia será muito mais colorido graças a participação de vocês nessa brincadeira que visa simplesmente dar espaço a poesia. Que delícia isso.
Grata pela sua participação e meus sinceros desejos de uma semana perfumada e encantada.

Loba disse...

menina, que bela coleta vc fez. Dauri é destes poetas que encantam com sua poética e ao mesmo tempo mexem em qq coisa dentro da gente!
Bom demais!!!!
Beijocas querida. Semana linda procê

Fernando Rozano disse...

o Dauri e a palavra têm uma cumplicidade única, própria, ambos se identificam...e que bom que colocas a ambos aqui, não por acaso de nome Florescer. muito sensível o post.grande abraço.

Layla Lauar disse...

E pelo visto a beleza "pegou" os dois, vocÊ ao escrever seu belo texto para homenagear o Poeta e ele quando compos esta linda poesia.

parabéns!

beijos

Dora disse...

Jacinta. Nossa amiga Loba indicou seu espaço. E vim conferir, num misto de curiosidade e vontade de experimentar o "belo".
(Eu já conheço o bom gosto da Loba.)
Apreciei deveras sua escrita a modo de apresentação do poeta que, por sua vez, encantou-me com a dicção dos versos. São versos de um coloquial tão saboroso e, ao mesmo tempo, linhas que mexem com as profundezas da existência!
Gostei de tudo o que percebi aqui.
Deixo-lhe meu abraço e minha admiração.
Dora

Poetisa da Alma disse...

Uma união fantastica...
Vc com um belo texto.
Ele com um poema magnifico!
Sorte a nossa de poder comprtilhar dos dois!!!
Uma bela semana para vc!
Abraço carinhoso

Poetisa da Alma disse...

Vc tem toda razão...
E que o encontro de belas almas estejam sempre em nosso caminho!
Um beijo com carinho

Bia disse...

Vim conhecer o teu blog através de uma indicação da Loba, e aqui estou, encantada com os teus escritos. Gostei de encontrar alguns trechos da Clarice Lispector (uma de minhas escritoras preferidas) entre as tuas postagens que nos trazem preciosas lições de vida, teus poemas que enternecem o coração da gente a cada verso, teus textos onde se sente pulsar o coração de uma poetisa que transpira delicadeza na forma bonita que encontrou de se expressar.

Gostei muito da postagem ENVELHECER com que inauguras o teu blog. Tudo que se refere a idosos (e crianças) me fascina.

Num dos teus textos dizes que queres reinventar o jeito de te colocares no mundo. Pode acreditar, Jacinta, que aqui nesse mundo blogueiro tu conseguiste o jeito delicado, aconchegante, gostoso, de te colocar, pois toca-nos a alma tudo aquilo que escreves.

Fabuloso o texto “À espera do arco-íris”, com tudo aquilo que compõe a força interior de um ser humano, tanto no plano negativo quanto no positivo. Ficção ou realidade, pouco importa. O certo é que, lendo-te, sentimos que estás envolta pelas cores delicadas desse arco-íris que fizeste/fazes por merecer em tua vida. Sensibilizou-me em muito esse relato, minha querida!

Parafraseando um de teus bonitos poemas, termino essa minha visita dizendo que existimos apesar do medo e que acolher o pulsar da vida é espalhar a beleza pelos caminhos preciosos de nossa existência.

Deixo mimosos sorrisos e perfumadas pétalas espalhados nas horas que estão por vir, e um beijo do meu para o teu coração.

Maria Augusta disse...

Nossa, que cantinho encantado encontrei aqui. Magnífica escolha, parabéns!
Beijos.

Espartilho de Eme disse...

Muito bom esse poema tímido e muito profundo também. Obrigada pela visita ao espartilho. Beijos

Saramar disse...

Lindíssimo!
Adoro blogagens coletivas justamente por nos permitir conhecer mais e pelor esse prazer da descoberta.
Encantei-me com sua sensibilidade e com as beleza dos versos deste poeta.
Obrigada.

beijos, boa semana, cheia de versos.

Dauri Batisti disse...

valeu Jacinta. O que dizer senão obrigado. Sempre é bom receber carinho.

Ilaine disse...

Jacinta!

Muito lindo o poema de Dauri. Teu texto é uma homenagem muito especial ao poeta.

Maravilhoso florescer!

Obrigada por passar no baú. Adorei!

A gente se vê!

Osc@r Luiz disse...

Bom dia, Jacinta,

Não apenas fez uma belíssima escolha poética para blogagem coletiva, mas me deu a oportunidade de conhecer um belo blog, recheado de beleza e conteúdo.
Gostei muito.
Seja sempre bem vinda aos meus.
Um beijo e uma boa semana.

Lyra disse...

"Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa. Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso" - Bernardo Soares -

Adoro a maneira como escreves

Até breve

;O)

Ricardo Rayol disse...

Conheço mais um. Um espaço e um poeta. Obrigado pela visita.

Alex Sens disse...

Gosto um tanto do Dauri, esses poemas cheios de vida! Um melhor que o outro...

Beijos, Jacinta!

Ana disse...

Nasci numa cidade, dafronteira, chamada Lavras do Sul. E sempre gostei de descobrir palavras.

Quando li "no jardim, na fronteira das lavras onde se cortam as palavras' achei tão bonito e familiar...

"Obrigada"!

JOICE WORM disse...

Adoro os poemas de Dauri...
E se o pai era bonito e a mãe, linda. O Dauri deve ser um verdadeiro chocolate!!
(Estas iniciativas são geniais Jacinta. Legal mesmo!)

Jorge Elias disse...

É amiga, tens andado muito!...
Parabéns pela homenagem ao Dauri, ele merece.
Abraços,

Jorge Elias

Luci disse...

Encantador. Poesia da boa, cheia de delicadeza e de palavras sentidas, donotadas, tocadas e tocantes.
Bela homenagem.

bjo,

Luci:)))

Andréa Motta disse...

Boa noite! Vim conhecer seu blog e convidá-la a participar da blogagem coletiva COISAS DO BRASIL, em 16 de maio. A idéia é cada um escrever, em seu blog, sobre aquilo que represente a cidade brasileira onde mora ou nasceu, a fim de que, juntos, mostremos a riqueza cultural do nosso país. Estou convidando a todos, até mesmo os brasileiros que residem no exterior; o importante é mostrarmos que o Brasil é um misto de culturas e saberes. Conto com a sua adesão!

Beto Matos disse...

Os poemas de Dauri são permeados de permeabilidade, ao tempo em que são impermeáveis, impenetráveis e acessíveis aos que sabem ou podem ler almas.

John Doe disse...

Dauri Batiste é um artista apaixonado, é um escritor que expõe sua alma, e isso não é pra qualquer um...

além do mais, não ´[e sempre que posso explçorar alguém desse nivel como professor...

Madalena Barranco disse...

Jacinta querida, eu não conhecia Batisti, que ao ler seu poema descobri também em seus versos um sensível vendedor de flores! Beijos e obrigada pelo seu gentil comentário. P.S.: A Lunna tem razão > o Abre Aspas foi uma deliciosa brincadeira com revelações maravilhosas. Beijos.