14.5.08

Sim, esta é a vida vista pela vida. Mas de repente esqueço o como captar o que acontece, não sei como captar o que existe, senão vivendo aqui cada coisa que surgir e não importa o que: estou quase livre de meus erros. Deixo o cavalo livre correr fogoso. Eu, que troto nervosa e só a realidade delimita.

Clarice Lispector

11 comentários:

benechaves disse...

A Clarice sempre é bem vista aos nossos olhos. Seus textos são pura poesia. E é uma satisfação encontrá-los por aqui vez ou outra. Sinal de inteligência da jovem responsável pelo 'Florescer'.

Um beijo poético...

Loba disse...

Venho do texto anterior e de repente percebo que esta escolha de Clarice é a afirmação da bela viagem que vc fez pelos seus caminhos internos.
Aliás, que belo texto, moça! Autoreflexão gera novas reflexões, especialmente em que te lê!
Beijocas

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Assim como a Loba, li primeiro o texto anterior e, nossa, um complementa o outro, dentro desta bela prosa poética...
Beijos!

Dora disse...

Deixar o cavalo correr ...livre...Penso que isso é viver, do interior para o exterior, sem se importar com as amarras do pensamento "lógico" que cerceia a identidade do EU.
Clarice sempre se procura a si mesma, antes de se colocar na vida real.
É uma tarefa de quem reflete muito para não se deixar levar pelas correntezas do mundo.
Gosto de Clarice.
Gosto que você nos faça "viajar" nas verdades dela.
Beijos, beijos.
Dora

Eurico disse...

é vivendo q se capta a existencia. a vida é o próprio órgão da compreensão:
"penso com os olhos, com a boca, com os ouvidos", diria Álvaro de Campos.
Abraçamigo.

adelaide amorim disse...

Clarice é uma espécie de ponto de referência, não é mesmo? A gente acaba encontrando um pouco mais os outros e a si mesma através dos textos dela. Beijo pra você.

Ilaine disse...

Então, Jacinta! Aqui, mais uma vez sinto uma estreita ligação com você e Clarice. Adoro os teus escritos e perco-me nos dela.

Bj

Plinio Uhl disse...

Clarice é tudo que não sou. Por isso a admiro tanto. Mas ontem agi como ela. Com nenhuma antecipação e total entrega. Será que dá certo? Quem dera vinhéssemos com manual de instruções.

Beijos.

Edson Marques disse...

Jacinta,


belo texto da Clarice!


Também gostei dos teus comentários deixados no blog Mude.



Abraços, flores, estrelas..

Nilson Barcelli disse...

Gosto muito dos textos da Clarice.
São normalmente muito profundos e este não foge a essa característica.

Agarrar ou captar o que acontece é importante, de contrário as coisas passam-nos ao lado..

Bom resto de semana para vc,
Beijinhos.

Yuri Assis disse...

é importante ser água viva, muito viva

estou na transição, fazendo a passagem pro mundo dos adultos. enquanto isso, muitas dúvidas, sobre mim, o mundo e os outros, um tanto de medo de errar, um tanto de vontade de arriscar. estou crescendo.

beijos!