30.6.08

LAÇOS E NÓS

Na ansiedade de desfazer as amarras que me prendiam,
desamarrei os nós e me senti solta.

Mas, no caminho que fiz,
nós e laços foram se entrelaçando e,
confusa,
não conseguindo distinguir um do outro,
acabei desfazendo, também,
muitos laços importantes.

29 comentários:

Graziele Alencar disse...

Sei bem como é...
:S
Beijos.

Jacinta Correia disse...

A vida é feita deste nós que vamos desfazendo e dos erros que também se cometem. Tudo faz parte desta grande lição que é a vida. Um bj.

Miguel S. G. Chammas disse...

Reate-os e siga em frente com toda poesia que transmites.

Fernando Rozano disse...

a vida é assim, feita por nós entre nós e laços, e, por isso, o fantástico é poder renová-la a cada instante, vivendo-a com intensidade. bonito texto. abraços.

Beatriz disse...

É o preço que se paga, amiga, quando queremos nos livrar de situações que nos sufocam e apressadamente vamos desfazendo as amarras que nos prendem... com isso, como bem o disseste, desatamos também os laços. Conforta-nos saber que o episódio vivido nos ensina a desmanchar os nós com sabedoria e a (re)fazer os laços ou criar novos, com o esmero de quem quer realmente se prender a algo ou alguém. É tudo uma questão de ver o lado bom das coisas, de saber tirar proveito das situações, de conseguir harmonizar as incoerências. Gostei muito do teu texto, amiga, como de todos os outros, que sempre nos ensejam reflexões que irão balizar nossas próprias atitudes. Grata por isso!

Deixo-te flores e estrelas para enfeitar a tua semana, e beijos e flores do meu para o teu coração, com carinho.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Jacinta
Que profundo! e lindo! e triste...
Mas também tem o lado bom, porque laços a gente reata!
saudades de você
beijos

mundo azul disse...

...é! Precisamos tomar muito cuidado...Mas, sempre é tempo de reatá-los!
Belo e triste...
Beijos de luz e muita alegria no seu coração!

Dauri Batisti disse...

Laços importantes desfeitos
poderão ser laços que esperam
mãos que os trancem novamente.

Lunna Montez'zinny disse...

Ah Caríssima, você sempre nos permitindo essa reflexão momentânea. A alma fica mais leve e mais intensa. Que bom que se pode ser assim. Abraços meus...

John Doe disse...

hoje eu queria desfazer todos os laços principalmente os importantes e começar a viver sem laços, sem vinculos, viver livre sem nada que atrapalhe a minha liberdade...

Sérgio Luyz Rocha disse...

Pois é, acho que todos nós atamos e desatamos muitos nós, uns acertadamente, outros nem tanto (muito embora, muitas vezes, não saibamos o que foi certo, atá-los ou desatá-los...)...
...de qualquer forma seu poema é muito bonito e nos faz refletir (e muito).
Você me fez uma visita há algum tempo - "muros de vento" - agora mantenho um novo espaço - "Trama Bacana"...te aguardo por lá para uma prosa (e um verso)...

Abraço!!!

Oliver Pickwick disse...

Não há liberdade sem perdas.
Um beijo!

loba disse...

A vida é assim,né? Cheia de erros e acertos, encontros e desencontros, laços e nós.
Entendê-la é impossível, mas sempre podemos refazer caminhos, desatar nós e reinventar os laços!
Porque seguir é preciso! rs...
Beijos querida.

thiago# disse...

Que grata surpresa!
Vim te agradecer pela sua visita no Bossa Nova Café e quando chego aqui, já encontro de cara um texto tão legal!

Eu, estou desfazendo alguns laços que estavam me sufocando... parece estar dando certo!

Um beijo!
Parabéns por esse espaço.

Elcio Tuiribepi disse...

Olá, é verdade Jacinta, as vezes um nó desfeito acaba desfazendo muitos outros...
Fiz este poemeto esses dias e que fala um pouo sobre desatar nós e soltar amarras...rsss...bjo..e que apesar de tudo alguns nós possam continuar sendo desatados

E agora?

Ato impensado
Arranhei a alma
Machuquei o ego
Desatei os nós
Depois quis partir
Mas, acabei ficando...

Di disse...

Talvez não tenham se entrelaçado, só não foram totalmente desfeitos.

Rubens da Cunha disse...

também sei bem como é...

obrigado pela visita ao casa de paragens
abraços

Maria Maria disse...

Sua casa é acolhedora. Beijos de Maria maria

Germano disse...

Jacinta,

meados, meandros, laços, fios, enrolados e suspensos, nossa vida que se tece, dia sim, dia não.

a gente segue.

Abraços de sempre.
Germano

benechaves disse...

Oi, amiga: um vigoroso texto entre elos da vida. De um lado, os laços que entrelaçam. E de outro os mesmos que se desprendem. Muito embora, eles, os laços, vivam sempre numa intermitência de opiniões. São as variações da existência.

Um beijo sem laços...

Layla Lauar disse...

lindo por demais...tantos nós já desatei..mas agora quero atar ...eu e ele em nós que não desatem mais.

beijos querida

Clecia disse...

Belo poema! Cheio de significado,por sinal! BJos!

Mel disse...

Alguns laços não precisam se desfeitos... Mas como saber?

...

Beijos

Célia de Lima disse...

Alguns laços deixam-nos sim, tão confusos, que nos desarticulam o(s) sentido(s). Que bom é quando podemos, então livres da própria névoa, retomar o caminho, resgatar o que vale a pena.

Faz sempre um bem danado te ler!
Abraços.

Bom fim de semana!

eder ribeiro disse...

desfazer dos nós não é perde o fio da meada. bjos.

Nanda Nascimento disse...

É o risco que corremos, mais o tempo cuidará do resto.

Lindo e real.

Um excelente domingo!

Beijos e flores!!

Lunna Montez'zinny disse...

A pressa sempre nos atropela e vence na maioria das vezes. E dos laços não sobram nem mesmo a fita.
Abraços carissima, tenha um lindo domingo e uma excelente semana...

Madalena Barranco disse...

Ah, querida Jacinta, desatar os "nós" necessários é tarefa para uma poetisa. Bela reflexão e jogo de palavras!

Beijos.

APPedrosa disse...

livrar-se dos nós e preservar os laços... feliz de quem consegue isso sempre. Ainda bem que sempre há a chance de reatar os laços e transformar os nós em laços também. beijos