24.7.08

SIMPLICIDADE

É isso aí
Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua
Ana Carolina

19 comentários:

Osvaldo disse...

Cara Jascinta;
É isso aí...
Este poema fez-me lembra o montão de frases, conversas, crónicas, artigos etc. que podemos começar com esta simples abertura de frase...
É isso aí, "minina" do Espirito Santo, que com poemas simples mas atraentes, nos "grudas no teu blog.
bjs

Frederico Blahnik disse...

Adorei a simplicidade do poema.
Direto, emocional.
A gente passa pelas coisas da vida e encara tudo como rotina e deixa de ver a beleza em coisas simples como a lua no céu em um dia sem nuvens...

;-)

Miguel disse...

É isso aí....a vida continua e continuamos nós!

Dora disse...

É o que eu sempre pleiteio...vida simples. E é preciso ver a lua. E guardar sua luminosidade. Para os dias de lua nova, em que ela está lá, mas a gente não vê...
É isso aí, Jacinta...E você já sabe disso, que eu sei.
Beijos, beijos.
Dora

Mel disse...

Tenho observado tudo ao meu redor... A lua, os passos, as flores. A simplicidade é isso sim...

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

É amiga, a vida continua, mesmo a contragosto!
Estou recuperando, por isso andei sumida. Meu cachorro teve que extrair um câncer, agora virei enfermeira de cão... eu mereço!
O JE me mandou um e-mail que a gente pode marcar o encontro para uma terça ou quinta, só é para marcar cm uma semana de atecedência para ele se programar...
Vc fala com o Dauri?
beijo e bom fim de semana

benechaves disse...

Essa Ana Carolina é uma boa compositora e cantora tb. Gosto de algumas músicas da mesma. Tem talento.

Um beijo poético...

Tetê disse...

Uma delícia esse seu cantinho! Obrigada pela visita! Hoje, a reflexão é sobre o crescimento das indústrias... Vou te add, tá? Bom final de semana!

Clecia disse...

Acho esta música tão linda e tão real! Bjos e um ótimo fim de semana!

Luciana disse...

Olá Jacinta

Obrigada por ter visitado o meu blog e desculpe a demora em responder ao teu comentário é que fiquei duas semanas sem internet por que um caminhão passou na minha rua e arrebentou todos dos fios da minha casa e só conseguimos voltar com a net hoje á noite e como tu deve saber ter e-mail e blog é difícil responder tudo ao mesmo tempo, então estou indo por partes, em relação ao filme e a frase da tradução da música é muito linda mesmo eu amo demais esse filme e essa música é muito emocionante é uma das minhas favoritas e em relação a ter me achado pelo Fernando ele é um cara gente boa sempre deixa um comentário no meu blog, obrigada mais uma vez pela visita e aparece sempre que quiser espero não ter mais problemas com a Net.

Grande Beijo

Luciana

loba disse...

é.. a vida sempre continua!! e que bom que seja assim, né?
beijocas, moça!

Alice disse...

é isso aí .....

eder ribeiro disse...

adora a ana, e realmente a vida é simples, quem tem discernimento disso sabe viver. bjos.

Elcio Tuiribepi disse...

E continua...reticências sempre...conhece o Lui Coimbra que toca nos shows dela? Muito bom o cara, vale a pena conferir o trabalho solo dele...bom domingo...

mundo azul disse...

...que delicia esse poema!

Beijos no coração e uma semana feliz!!!

Pelos caminhos da vida. disse...

Lindo poema...


beijooo.

Luci disse...

às vezes o dia passa, com um sol cheio de cores inéditas e na pressa do ser ou não ser, vemos em PB. Sentimos anestesiados, nos protegemos do que pode queimar, mas pode florescer. A lua chega, cheia, e tem gente que nem percebe que ela ilumina o caminho... Triste, né? Foi mais ou menos o que senti, ao ler o texto...

Bjo,

Luci:)))

Plinio Uhl disse...

amo essa letra. e amo ainda mais a letra original. conhece? pena que as duas versões brasileiras, da Ana Carolina e da Zélia Duncan, cantada pela Simone, não tenham mantido o mesmo final. é triste e duro demais. mas ainda assim, belo.

beijos.

Friendlyone disse...

O duro é quase sempre a gente conhece o final das coisas... Acontece do jeito que a gente achou mesmo que ia ser. Será que somos estúpidos?