8.8.08

ESTRANHOS MUNDOS?
Imagem: fotoblog uol

Meninos-metade-homem-menino percorrem por trilhos na vida desengonçada. O corpo anuncia a entrada em mundos estranhos com pedregulhos sob os pés e - mesmo com espinhos no trajeto -não há como retroceder. Mesmo com espinhos no trajeto, é preciso seguir, mas os trilhos descarrilados não apontam caminhos e em espelhos embaçados não há o reflexo da lei que orienta. O grito, rouco e sufocante, implora por algo ou alguém que os façam parar. LIMITE é a palavra de ordem vigente mas a falência escancara a fragilidade. No conflito o confronto e, no lugar onde se supõe resgate para o convívio social, o encontro com um outro igual. Iguais, na condição de fora de lugar, estranham-se no seu entre-lugar demarcado pela delinqüência que despersonaliza: Mais vale o líder que se impõe deixando de ser pessoa e se assume, diante do grupo, como o número que o destaca na infração; uma locomotiva sem freio e sem rumo que não reconhece alteridade. E tremem os trilhos enquadrados nos caminhos tortuosos.
...do menino-homem, no curto e trágico caminho percorrido, ficou o olhar nas mãos trêmulas de mãe.

27 comentários:

NANDO DAMÁZIO disse...

Adorei tanto as palavras, quanto a imagem dos trilhos, na verdade uma composição perfeita.

Sigamos nosso destino...
Abraço, Jaci!

acqua disse...

Gosto de observar os trilhos, eles sempre me dão uma dimensão mais atenta da própria vida. E você encontrou a combinação perfeita nesta composição.
Abraços meus caríssima e bom fim de semana para a sua alma

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Quanta percepção e sensibilidade na junção exata de palavra-imagem...
E depois vc diz que eu é que tenho as palavras certas... brincadeira! Lindo seu textopoema.
Precisamos nos encontrar. Agora que as coisas sossegaram, vou marcar e te aviso.
beijos

Luci disse...

"o olhar nas mãos tremulas da mãe".

Sim, às vezes é aí que se encontra o cerne. Onde pensamos haver apenas solução, muitas vezes há consequência.

Bjo,

Luci:)))

Anderson Cádor disse...

trilho
trlha
da vida
vida trilhada
lida
linda vida
mesmo dizeendo não

Apareça, Jacinta!

mundo azul disse...

...é! Como é dificil para esses meninos... A necessidade do grupo é forte demais! Seria necessário um trabalho longo e persistente, para trazê-los de volta...

Muito bom o seu texto!!!

Beijos de luz e um domingo muito feliz!!!

eder ribeiro disse...

como vivemos numa sociedade individualista é necessário deixar de ser humano para ser, onde ser se enquadra mais com o verbo ter. bjos.

Francisco Sobreira disse...

Jacinta,
A tragédia cotidiana dos precoces delinqüentes. A caminhada sem perspectivas de melhora e perigosa, simbolizada na locomotiva que deixa uma miserável mãe privada do filho. Bom texto, com a sua marca estilística peculiar. Grande abraço.

Paradoxos disse...

poderosa imagem e poderosas palavras!!

Opuntia disse...

O trilho da vida nos leva ao futuro. Pena que alguns saem da linha antes da hora.

Bjos.

Pelos caminhos da vida. disse...

Primeira visita!

Belo post e imagem perfeita.


beijooo.

f@ disse...

"O grito, rouco e sufocante, implora por algo ou alguém que os façam parar." ao que o mundo responde com indiferênça e desprezo... nada ... ignora... esquece...
e a locomotiva apita mas quase nunca pára...
beijinhos da nuvens

Dora disse...

Esses "meninos-homens" que não sabem os caminhos dos trilhos, porque só conhecem o "descarrilamento"...E acabam na tragédia pela falta de "conhecer" um caminho...Mas, têm mães!Isso é o que dói e deixa perguntas no ar...
Obrigada por colocar "fragmentos" do Pretensos Colóquios!
Obrigada, amiga!Você é muito especial.
Beijos para você!
Dora

Clecia disse...

Que texto lindo! De uma sensibilidade ímpar!Amei! Bjos e uma linda semana!

loba disse...

O mais doloroso, o que mais devora é o olhar desta mãe. só outra mãe entende esta dor.
que texto, moça! de arrepiar!
beijo!

Daniel disse...

Gostei muito desse post. Combinação perfeita entre imagem e texto. Valeu pela visita ao meu blog, fique a vontade para ir lá sempre que quiser, pois sempre estarei aqui. Já te add no Só Pensando. Um abraço e boa semana.

http://so-pensando.blogspot.com

CRIS disse...

Era uma visita social, de agradecimento pela tua estada lá no "Cris" .Mas no fundo eu sabia que ia gostar além da conta. Gosto de palavras verdadeiras, responsáveis , com intensidade.
Parabéns pelo olhar atento.

Beijo

adelaide amorim disse...

Às vezes essa vida vira viagem sem volta, correndo para o desastre.
Um beijo pra você, Jacinta.

Miguel disse...

Lindas imagens formadas por palavras de muita intensidade. Aqui, deste lado da telinha, um velho-menino te aplaude depois de apear do bonde da felicidade que um dia eu o embarquei.

dácio jaegger disse...

Parece um mal do nosso tempo quando ainda no século passado catadupas de desencaminhados jovens se tornaram milhares e encontraram abrigo entre toda sorte de bandidos, notadamente no tráfico de drogas.Em termos de Brasil a inchação das cidades grandes por falta de opção de trabalhos e outras perpectivas resta a muitos sair dos trilhos.? Forte

nuvem disse...

Palavras duras e verdadeiras, num texto muito bem escrito.

Beijos

Ilaine disse...

Jacinta!
Um menino- quase homem- perde sua vida. Caminhos tortuosos numa existência desengonçada ... num caos social. Uma mãe que segura o olhar em mãos trêmulas... Triste destino, meninos sem rumo.

Maravilhoso texto. Palavras suas que tocam: sensibilidade e arte!

Bj

NANDO DAMÁZIO disse...

Poizé, eu tenho mania de sair fuçando os blogs de amigos em busca de novidades...
Mas este post eu já li.
Então, pra não perder a viagem, deixo um beijo de bom dia! :)

João Videira Santos disse...

Um texto (bem) interessante que nos leva à meditação...

João Videira Santos disse...

Palavras crepitando no fogo do pensamento...

Tânia Defensora disse...

Oi Jacinta!
Vim agradecer sua visita.
Gostei muito do seu espaço também.
Espero que volte mesmo!
É o que eu pretendo fazer.
Abraços

Fernando Rozano disse...

uma imagem forte, instigante e em p&b. o texto percorre caminhos, os trilhos nos conduzem também, de ida ou de volta em torno da vida. excelente texto e magnífica reflexão. meu abraço.