25.9.08

Ele me encanta pela sensibilidade e comunicação que faz com meu texto anterior. É ele, O poema, bonito, atento ao entorno e suas sutilezas: um grito...

Seu autor? - o cardiologista - POETA Jorge Elias, a quem agradeço pelo carinho e amizade.


NO ENTORNO HAVIA PENSAMENTOS
Imagem: fotolog uol

Nada do que se diga
terá serventia
quando grudado no casco dos cavalos de ferro.

Espertas são as samambaias
que sobrevivem na eflorescência
das pedras.
(aproveitam a verticalidade dos muros
aonde não pisam os homens)

Ocupemo-nos da fuligem...

Enquanto tivermos pulmões
para soprar as pétalas,
exerceremos o ofício
temerário de celebrar a vida.

No entorno
existe uma carência
desesperada de gestos.

Jorge Elias

18 comentários:

Miguel disse...

Jacinta esse Jorge sabe das coisas.

Tiago Soarez disse...

Jacinta,

Dê meus parabéns ao Jorge!

E aceite os meus parabéns vc tbm, por manter esse blog tão bonito!

Beijo

Bossa Nova Café - textos, música e arte!

GUILHERME PIÃO disse...

Gostei e admiro quem consegue escrever assim.
Parabéns pelo post e ao autor...
Abraços

Celi... disse...

Adorei o seu blog, os poemas, q escreves, as imagens, td...
http://abelezadaarte.blogspot.com/

dácio jaegger disse...

Souberam as samambaias, antes dos dinossauros, galgar dos pântanos as pedreiras, fugir deles deixando-os como fósseis e vir habitar as rochas, para na sua beleza simples serem celebradas em um canto ao compasso do coração do poeta. Parabéns por ter-nos trazido o Dr.Jorge Elias

Beatriz disse...

Merecida homenagem num belo poema!

Deixo-te uma orquídea lilás no desejo de um lindo final de semana. Um beijo no coração!

eder ribeiro disse...

bela homenagem querida jacinta, pois o poema é deslumbrante. bjos.

mundo azul disse...

PALMAS para o poema do Jorge!
Um conteúdo rico e sensível inserido em formas enxutas e belas...


Beijos de luz, querida Jacinta e um domingo muito feliz!!!

CRIS disse...

Que poeta , esse Jorge.
A lei da afinidade continua atraindo osn talentos.

beijão, querida.

Dora disse...

Que poema bonito! De uma boniteza de doer..."A carência de gestos, no entorno", é uma delicada forma de dizer da nossa pouca vivência do que "vale a pena"!
E o que vale a pena é existir, na intensidade, sim, mas com o respeito, atenção e cuidado com os demais seres...do entorno.
Eu abraço você.
E ao Jorge, poeta.
Dora

Celia Rodrigues disse...

Há muita sensibilidade no poema do Jorge. Muito bonito!

lyani disse...

Parabéns ao Jorge pela lindíssima poesia.

E a você parabéns pela sensibilidade das palavras, escolhidas e iluminadas!

Seu blog cada vez mais lindo!
Bjos,

Ly

Zeca disse...

Jacinta, ainda há pouco estava lendo seu comentário a respeito do Baú de Espantos, feito lá nas minhas janelas. Suas postagens também são tão bonitas que fazem por merecer belíssimas homenagens, como esse lindo poema do Poeta Jorge Elias.
Beijo você e abraço ambos.

Francisco Sobreira disse...

Jacinta,
Muito bom você nos apresentar à bela poesia que faz o seu amigo, a julgar-se por esse poema. Os dois estão de parabéns. Um abraço afetuoso.

Ilaine disse...

Jacinta!

É maravilhoso saber que "no espaço de espanto só tem belezas." Fiquei muito feliz com tuas palavras no blog do Zeca. Obrigada por tanto carinho.

Para você e para o Jorge, minha admiração.

Beijo

f@ disse...

Brilho das palavras... imenso o que transmite... sensível...
beijinhos das nuvens

dácio jaegger disse...

Cadê as belezuras a serem aqui depositadas? CAdê vc?
Beijos

loba disse...

Ah os poetas! Eles nos encantam com sua sensibilidade em versos e em gestos!
Muito delicia este poema.
Um beijo nele, dois em vc!