3.9.08

RECORDO AINDA

Recordo ainda... e nada mais me importa...
Aqueles dias de uma luz tão mansa
Que me deixavam, sempre, de lembrança,
Algum brinquedo novo à minha porta...

Mas veio um vento de Desesperança
Soprando cinzas pela noite morta!
E eu pendurei na galharia torta
Todos os meus brinquedos de criança...

Estrada afora após segui... Mas, aí,
Embora idade e senso eu aparente
Não vos iludais o velho que aqui vai:

Eu quero os meus brinquedos novamente!
Sou um pobre menino... acreditai!...
Que envelheceu, um dia, de repente!...

Mario Quintana

20 comentários:

John Doe disse...

o velho conto do Peter Pan, acho que no fim todos nós o somos, uns mais que outros mas todos somos... nunca crescer...

Tiago Soarez disse...

Muito lindo!

Paulo R Diesel disse...

O Quintana sabia do que escrevia.
Que bom que nos lembrastes isto.

Miguel disse...

Amiga, teu post promoveu um momento de ternura e carinho em meu coração, já que me vejo como esse velho menino.
Tua ausência foi recompensada com uma página de Quintana.
Então valeu!

JOICE WORM disse...

Um abraço para ti, Jacinta.
Vou passando para te ver (ler)

vero disse...

Gosto muito de Mário Quintana, perco-me ao ler os poemas dele...
Obrigada pela partilha.

Beijinhos

CRIS disse...

Jacinta...

Arrisco dizer que o desafio é crescer, virar adulto mas não matar a criança que existe em cada um ,a qual se manisfesta em momentos extremos : de garnde alegria ou infinita tristeza.

beijo, poeta.

Daniel disse...

Mário Quintana é tudo de bom e mais um pouco. Bjus.

http://so-pensando.blogspot.com

acqua disse...

Acho que todos nós envelhecemos um dia e sem perceber na maioria das vezes.
Abraços meus

Francisco Sobreira disse...

Muito bom você nos brindar com Quintana. É um dos meus poetas preferidos. Não me lembro desse soneto, mas, provavelmente, ele está na antologia dele que tenho. Um abraço.

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Que bom vir ao teu cantinho. Quintana nos redime, sempre!
Beijos.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Nossa, Jacinta!
Quanto tempo que não ouvia esse poema do Quintana!
Vc me proporcionou um lindo iniciar de dia.
Desculpa a demora em retribuir sua visita, mas está explicado no blog o motivo da minha ausência...
beijos e bom fim de semana

Jorge Elias disse...

Bela escolha!
Adoro Quintana.
Vc tem andado sumida...


Um abraço,

Jorge Elias


Obs: E as caminhadas, vão bem?

loba disse...

Quintana é bom de ler, de reler e de pensar. Este poema me fe lembrar outro dele, onde o tema é tb o envelhescer - um ponto de chegada de todos nós!
Beijo querida

Opuntia disse...

Oi Jacinta,
Depois de uns tempos sumida, voltas em grande estilo com o velho-menino-poeta Quintana. Teu bog sempre nos brinda com boas surpresas.

Bjooossss

Opuntia disse...

Oi Jacinta,
Depois de uns tempos sumida, voltas em grande estilo com o velho-menino-poeta Quintana. Teu bog sempre nos brinda com boas surpresas.

Bjooossss

Clecia disse...

Nossa!Mário Quintana é muito bom. Gosto demais de seus poemas.Meu último post também traz um poema dele. :) Desculpe-me a demora em voltar aqui. Estava doente estes dias e por isso não deu para visitar os amigos. :) Espero que tenha um ótimo fim de semana!

Ilaine disse...

Que bom ler Quintana aqui... Maravilhoso encontrar Jacinta no Baú de Espantos...

Beijo

VeraBasile disse...

Oi Jacinta!!!
Adoro Quintana!
Boa escolha para o retorno!!
Bjs

eder ribeiro disse...

como é prazeroso ler, sempre, mario quintana. obrigado. bjos.