24.10.08

NA BRINCADEIRA COM AS CORES...
Imagem: fotoblog uol
AQUIETE O PENSAMENTO


Aquiete o pensamento, diz o coração. Perceba o que há de bom, no mais simples, que você pode oferecer a si mesmo. Caminhe por dentro, tateando os pontos de conflitos, passo a passo. Transforme-os em música suave, cantada em fá. Não vale música triste, pode ser... "Como é grande o meu amor por você". Isso mesmo, declare seu amor por você. Essa nota musical parece que está ligada à cor verde, e verde se liga a mim, que também sou você, lembra? seu coração. Então imagine-se verde, imagine-se folha, árvore, floresta equilibrando o mundo no organismo. Cante, cante. Vá lá, você consegue. Agora, suba um tom, cante em Sol, qual? Aaaaah! "Foi assim, como ver o mar, a primeira vez que meus olhos se viram no seu olhar..." Sim, isso mesmo, olhe-se, continue, misture o verde com o mar, do mar. Acalme-se, inspire, mergulhe, conte até dez..."Quando eu mergulhei fundo nesse olhar fui dono do mar azul..." Volte à tona, expire. Respire azul. Aqueça, em sua garganta, as vibrações de contemplação ao universo. Respire. Saia do limite das paredes do seu quarto e olhe a sua volta. Aprecie a diversidade de sons e cores que são fortes aliados, no mundo de corpos, abertos à experiência de viver no mundo.

17 comentários:

loba disse...

Belíssima esta mandala!!! Nossa, apaixonei! E o texto? Fui lendo e cantando!
Olha que interessante: entrei aqui acelerada. (estou aproveitando um tempinho antes de viajar pra visitar alguns amigos) De repente, percebo no seu texto a calmaria. E a agitação dá lugar ao prazer de ler, ver, cantar.
Continuo com o tempo correndo contra mim, mas saio dando mais qualidade a ele! rs...
Beijo queridinha!

f@ disse...

Bela imagem e texto brilhante...

As cores e os sons raros do pensamento que toca a campainha do coração... relax...

Beijinhos das nuvens

Anônimo disse...

hey poeta linda ou linda poeta!
tdo que eu eu precisava ler hoje.
e logo pela manhã!
gracias
eu

eder ribeiro disse...

Querida Jacinta, quero aqui fazer, digo melhor, reverenciá-la pela maestria de magistralmente escrever crônicas. Te aplaudo de pé. Bjos.

Alex Sens disse...

Jacinta, só agora, chegando aos 21 anos, que estou descobrindo mais as cores, deixando um pouco o branco e preto pra me entregar ao que existe aí, em nosso redor, em forma de poesia, objeto, vento, canto.

Beijo!

Plinio Uhl disse...

pronto para dormir. com seu texto, hoje vou sonhar música.

bjuz

Cadinho RoCo disse...

Mas é assim mesmo que devemos e precisamos de agir para a mais completa cumplicidade com a liberdade que é a grande via para o nosso soltar, crescer, ir, viver. Escapar dos nossos limites numa integração plena com a misteriosa extensão oceânica, que a rigor ninguém até hoje conseguiu medir em toda sua profundidade.
Cadinho RoCo

CRIS disse...

Lindo!. Como sei o que é tatear por dentro, Jacinta, em eterna descoberta.
òtimo texto. Para ler e praticar.

Beijão

Recanto de Sonhos disse...

Nossa que texto intenso,cheio de vibração,de sentimentos.Provocou-me
uma inquietação...e isto é muito
bom.Sinto que vou ter que voltar aqui sempre.
Obrigado Jacinta pela visita ao meu recanto
e pelo carinho deixado lá.Volte sempre que quiser.
Beijos.
Amarísio

mundo azul disse...

Muito boooooooom!!!

Obrigada pela bela mensagem do seu texto, Jacinta!


Beijos de luz e uma semana muito feliz!!!

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Jacinta,

Obrigado pela visita e postagem. Mas obrigado mesmo é por esse seu texto. Sou fã do 14 Bis e dessa poesia canção. Acho até que o Santos Dumont deve ter tido uma emoção parecida, a despeito de toda tensão experimentada, ao alçar seu vôo em seu 14 Bis.
Bela recriação de imagens e apelo aos sentimentos.

Um beijo!!!

GUILHERME PIÃO disse...

Em primeiro, gostar da gente e depois curtir a vida como se ela fosse um arco-iris...belissimo...
Abraços

Ramon Alcântara disse...

Opa, bom conhecer novos escritores. Add.


abzz

Elcio Tuiribepi disse...

É Jacinta Dantas, muito bonito o texto. Se não gostarmos de nós mesmos antes de tudo, a vida perde a cor, o sabor e a essência...coincidentemente estou mexendo num poema que fala sobre cores...atitudes...pessoas e por aí vai...A simplicidade desta frase: "Perceba o que há de bom, no mais simples, que você pode oferecer a si mesmo".Ela é gigantescamente especial, nesses dias em que vivemos, onde os valores estão cada vez mais invertidos. Abraço na alma e mais uma vez parabéns.

tossan disse...

Há vida inteligente por aqui... Bj e boa semana

Layla Lauar disse...

Um mantra poético e melódico, de versos dançantes.. para ser recitado várias vezes...quem sabe assim minha alma e meu coração se aquietam um tantinho...

amei!!!

parabéns pela criatividade, pelo talento;

beijos querida!

Osvaldo disse...

Oi, Jacinta;
O que é que poderei escrever como comentário se você nos cortou as asas para o fazer ao escrever e comentar tudo ?!...
Em termos jornalisticos, vc disse tudo...
Em termos poéticos nem Lupicínio Rodrigues faria melhor...
Se musicarmos tudo, tudo está ao nivel de Toquinho, Vinícios e Jobim...
Se eu ainda morasse no Brasil, diria; "êta minina danada p'ra escrever bem!!!.".
bjs