15.10.08

BRINCANDO COM AS CORES
Foto: Ivone Ristchel

NO ENCONTRO DO AZUL COM O VERMELHO

Em época de assombro mundial e pleito local, uma agonia, com sons estressantes, invade as ruas, deixa os poros congestionados e o sangue contaminado de impurezas, em demanda de segundo turno, com a dúvida pairando entre o desencanto e a frustração. Qual é a escolha? Crateras espalhadas pelas avenidas anunciam que velhos problemas ficarão para quem melhor seduzir a maioria. Quanto barulho precisa respirar a atmosfera de faces alegres com a oportunidade de ganhar algum em última hora? Nas vias e ruelas, o corpo segue, perdido em discursos enlouquecedores, sem se perceber aprisionado em ressentimentos. Apenas segue... segue. Não se cuida e esquece o imperativo - trate-se bem para bem tratar o outro. Cuide-se. Mas, e as cores?


Cansado do dia estressante e, envolvido no cheiro bom de lavanda, o corpo se mistura à união do azul com o vermelho, na espuma violeta, aliviando as tensões musculares. No intervalo, antes que a noite se inicia, ele se entrega ao prazer, limpando seus pensamentos das imagens e sons, e se permite abrigar um sentimento bom no toque do frescor das águas, massageando-se, fazendo drenagem a partir dos pés, num ritual que harmoniza a circulação vital no seu compasso cardial. Então, com toda a dicotomia que há pelas ruas, corpo e alma agradecem pela capacidade de apreender, no simples sabonete de cor violeta, possibilidades de interiorização, energia e paciência para retomar, com o novo dia, a conquista de seus novos projetos, apesar da crise que assombra o caminho.

10 comentários:

Alex Sens disse...

Jacinta, parece que a vida só se mostra equilibrada desta forma, não? 'Apesar de' todo o furacão e as agonias permeando todo e qualquer instante, ainda há espaço pr'um momento mágico de bons cheiros, bons pensamentos e plenitude. Gosto da chance de ainda ter plenitude, apesar de.

Beijos!

Dora disse...

Uma mágica para espantar os ruídos, imagens e cheiros indesejados pelo organismo humano. Uma mistura de azul com vermelho, na espuma "violeta". E as cores, num tépido banho, com esse sabonete que desliza em massagens, revigora e faz o re-nascimento de energias.
Parece uma sessão de ritual indiano ou chinês...
Gostei do apaziguamento final.
Beijos, Jacinta querida.
Dora

CRIS disse...

Que texto intensamente colorido, Jacinta.Pintado a mão , sem tecnologia. E com tintas suaves que impregnam.Belo efeito.

Beijão.

JOICE WORM disse...

Há desafio para ti no Pequeno Milagre. Besossssssssss.

Fernando Rozano disse...

oi Jscinta, desculpe a ausência, porém, a escassez de tempo é devido ao trabalho intenso deste final de ano que se aproxima. logo voltarei e ler os teus posts com calma. e quem sabe ainda posto algo até amanhã.
fica bem e com meu abraço carinhoso.

VeraBasile disse...

Oi Jacinta!
Nossa vc descreveu tão bem o q temos passado nesses dias ou talvez anos. O importante mesmo é termos algum tipo de "ritual purificador" da alma e do corpo. Principalmente da alma pra recomeçarmos a cada dia, mais fortalecidos.
Um Beijão
ps:Obrigada pelo link do meu novo, (velho) trabalho!!

tossan disse...

Bela prosa...Belo blog! E essas fotos, são suas? Vou continuar a saborea-lo. Te ofereço um selo vc aceita? Está lá no meu blog. Bj

Tatiana Moreira disse...

Vim te desejar um belo fim de semana, repleto de cores!!!
Adorei seu texto!
Um bjim carinhoso

Aline Christall disse...

Chegando agora...e ficando, quero ler mais textos..come-los.

Osvaldo disse...

Oi, Jacinta;
Esta natureza, incrivel natureza, não para de nos surpreender com as suas "brincadeiras"...
Desde o inicio do Mundo que alguém nos "prega" estas partidas de nos obrigadar a decifrar "porquês"...
Porque será que o Universo, por vezes opaco se transforma num instante em verdaeiro arco-íris ?!... Quem será que brinca aos "pintores", quem será que gosta de misturar as cores, quem será que nos alimenta de amores... pelas cores ?!...
Cara Jacinta, lindissimo esse seu texto.
bjs