29.10.08

ESCUTANDO-SE NO OLHAR

Já não havia porque testemunhar aquela cena, por mais um segundo que fosse. Mas como tivessem chumbo, os pés ali a fincaram e fizeram-na sofrer mais e mais, vendo escapar-lhe para sempre o homem a quem dedicara a sua vida. O vento que passava levemente em seu rosto parecia troçar do seu sofrimento. Entontecida, entre os ruídos da dor, ela percebe o sinal: Basta, sussurra a voz, você foi até onde suas forças lhe permitiram ir. Embora fragilizada, sente que se enganara, pois o vento é seu aliado. Que alívio! O vento não divide nada, ao certo, a não ser os próprios pensamentos, escuta-se visualizando o próximo passo. Andando devagar, ela divaga entre sentimentos confusos. Afinal, fizera sua escolha e, tudo quanto pudesse infligir a alma, nada mais era do que o ônus de uma escolha. Essa era sua verdade, e, a verdade quase sempre dói mais do que se pode suportar. Então ela virou e se pôs a caminhar, afastando-se dali. Enfrentar a realidade com altivez era sua determinação. Nas mãos, o rumo para avançar e a certeza de que fez o que precisava ser feito, naquele momento, e agora se prepara para a colheita desta escolha. Sabe que o recomeço é difícil, mas se mantém firme, pois em cada passo que der, ficará mais longe de suas amarras. Para não fraquejar, melhor é não olhar para trás, pois os passos já não são somente vontades de sua razão. No seu cansaço, o companheiro vento percebia que, no ritmo que estava, poderia apagar a trilha e aí sua parte naquele arranjo de emoções se perderia, pois nenhum vento seria capaz de distinguir sentimentos tão vagos e, ao mesmo tempo tão explícitos, que lhe assaltavam a inércia de um coração outrora feliz. Quanta desorientação. Deixando-se naufragar em suas lembranças, sentia saudade e às vezes, durante a caminhada, pensava não conseguir. Lembrava-se da imagem daquele belo rosto e tentava ter certeza de suas escolhas. Não havia mais volta. Afinal, os sinos das catedrais já anunciavam que ele agora pertencia a outra. Ele fizera outro caminho, partira para outra dimensão que, a partir daquele momento, estaria para sempre ao seu lado. Na cerimônia do adeus, viu de longe o que parecia serem os convidados. Sentiu a invasão de uma dor dilacerante esmagando-lhe o coração e fazendo umedecer seus olhos de tal maneira que, quase não conseguiu distingui-lo entre tantas pessoas. A voz sussurrante do amigo vento insistia. Enxergue-o para além do que você vê. Ele está entre os convidados. Ele está bem. O coração palpitava e sentia que algo estava por acontecer. Não havia porque se culpar por não ter impedido que ele dirigisse naquele estado. Ele quis assim. Escutando-se no olhar para o próximo passo, ela tem certeza de que ficara o tempo devido, nem mais nem menos, pois o tempo do luto era necessário. Sente bater forte a emoção de tantas quimeras que traziam ao seu intimo o impulso para novas descobertas. Descobertas estas que a guiariam pelas trilhas do sol, que teimava em se esconder pelas montanhas tingindo-as do ouro puro, para poder receber a mansidão da noite enluarada que se aproximava. Convencida de que fizera a melhor escolha, seu olhar, agora mais iluminado, recupera o brilho ofuscado pela languidez dos últimos tempos. Na estrada arborizada, o vento auricular consolida o divisor de águas entre o que foi, fez, quis e o que pode ser, fazer e querer. Guardando os bons momentos que partilharam do mesmo caminho, ela segue viva, vivendo, querendo VIDA.

Organização: Jacinta Dantas

Participação

31 comentários:

Dauri Batisti disse...

Bonito exercício Jacinta.
Beijo.

Vinícius Aguiar disse...

hehehe... ficou bem legal, adorei a idéia! bjs!

Tatiana disse...

Ficou muito lindo o texto...expressando grande sensibildade!
Você soube aproveitar com grande sabedoria cada parte.
Fico feliz em fazer parte de algo tão belo!
Meu abraço carinhoso e repleto de admiração

tossan disse...

Sabe que ficou ótimo, gostei de participar. Queremos mais...Bj

Paulo R Diesel disse...

Ficou bom em Jacinta.
Este texto a tantas mãos e parecendo ser escrito por uma pessoa só.

Bela idéia e iniciativa.

Beijo.

SIMONE GOIS disse...

Olá Jacinta,
Este texto é te tirar o fôlego e dá um nozinho na garganta.
Obrigada pelo comentário. Vou te linkar já.
Vamos manter contato
beijos
simone

SIMONE GOIS disse...

Olá Jacinta,
Este texto é te tirar o fôlego e dá um nozinho na garganta.
Obrigada pelo comentário. Vou te linkar já.
Vamos manter contato
beijos
simone

Francisco Sobreira disse...

É, Jacinta, você teve uma idéia inspirada e os (as) visitantes/amigos/amigas a encamparam. O resultado foi bom e fico contente por ter dado minha pequenina colaboração para tal. Abraço afetuoso.

Miguel disse...

Idséia legal, resultado excelente.
O texto seguiu uma linha de raciocínio coerente e harmonica.Gostei muito. Parabéns a todos.

Aline Christall disse...

Ficou 10...adorei!!! Posso postar um dia no meu esse texto ?

Bjim

Jacinta Dantas disse...

Oi Aline,
mas é claro. Quando quiser é só postar.

lyani disse...

Ficou lindo!
Que pena que cheguei tarde para participar... =/
Bjossssss

Eurico disse...

Aqui de volta ao oásis! Beijo carinhoso e fraterno!

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Olá Jacinta,

Eu achei que estava ficando bom na seqüência em que íamos postando, mas ao ler o texto editado fiquei perplexo com a excelência do resultado. Mesmo tendo dado uma pequena contribuição, sinto-me honrado por ter participado.
Sua idéia genial mostrou que podemos, se quisermos, realizar coisas do arco da velha, como se diz ou dizia na minha terra.
Parabéns a todos e em particular a você pela iniciativa; e estou com o Tossan:"queremos mais..."!

Um beijo!!!

Tatiana disse...

Passando para desejar-te um dia maravilhoso!

Rico em dádivas ao seu belo coração!

Beijos com meu carinho

Deusa Odoyá disse...

Olá minha nova amiga Jacinta.
Parabéns a todos que participaram, um belo texto.

Uma semana abençoada por deus.
Muitas luzes em seus caminhos.

Sua nova amiga.
Regina Coeli.

Te aguardo em meu cantinho.

Tatiana disse...

Que lindo!!! Amei o selo!Obrigada de coração!
Vc não imagina como é um incentivo para mim.
Escrevia e guardava tudo a 7 chaves... e agora que estou colocando a mostra.
Que Deus a ilumine sempre!
Mil beijos e meu eterno carinho

Tatiana disse...

Fiquei emocionada!rsrs
Já está lá!
Beijos

Claudinha disse...

Menina! Ficou bom demais da conta! Adorei ter participado. Obrigada! Beijos!

Enéas Bispo disse...

Minha querida Jacinta, vou comentar esse texto usando as palavras seguintes:

Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre, também, alguma razão na loucura"(Nietzshe).
Tanta gente se esconde do sonho

com medo de sofrer

Tanta gente se esquece que é preciso viver.

Combater moinhos

Caminhar entre o medo e o prazer

Somos todos na vida, qualquer um de nós,

Vilões e heróis

(Dom Quixote, música de Maria Rita.).

loba disse...

Menina! Que delícia! Adoro qq exercicio feito a várias mãos e todas as emoções.
Antigamente (ai que saudades) a gente fazia muito isso no meu blog. Era uma farra deliciosa, além de ser um grande estímulo à escrita, né?
O texto de vcs ficou perfeitamente costurado e esbanjando sensibilidade.
Grande beijo., moça!

Alex Sens disse...

Jacinta, bem bacana a idéia, toda a brincadeira. Não participei, confesso, por pura falta de inspiração sobre algo do tipo - fico todo travado quando é pra escrever junto. O resultado ficou ótimo, com algumas partes melhores que outras...

Beijos!

JOICE WORM disse...

Foi fantástico ter participado e foi delirante ter lido a composição, Jacinta. Tu és uma mestra!

Oliver Pickwick disse...

Isto significa que este conto foi escrito a vinte e quatro mãos? Em caso positivo, é impressionante.
Um beijo!

Ígor Andrade disse...

Obrigado pela visita.
Volte sempre.
Abraço!

Jacinta Dantas disse...

Oliver,
na verdade, o conto é composto por 26 mãos. As minhas, fazem a costura dos textos que estão nos comentários do post anterior e, as últimas 07 linhas do conto.
É uma brincadeira muito legal.
Obrigada por aparecer no florescer

Anônimo disse...

gosto daqui. conforta-me!!

Jacinta Dantas disse...

Olá amigo anônimo,
bom saber que você gosta desse espaço. Obrigada
Seja benvindo, sempre. Quando quiser,deixe seu endereço(blg ou e-mail).

Mila disse...

Ah... =(
O sistema de acompanhamento por e-mail não funcionou direito.
Só agora eu vi que acabou a produção.
Mas adorei a escrita coletiva.
Muito interessante ver no texto final um pedacinho do que cada um colocou.
Adorei!

Eduardo P.L disse...

Jacinta,

parabéns pela iniciativa.Se gosta do genero visite o UMDEPOIS que faz o mesmo genero, só que na brincadeira total.No momento a história esta trancada, mas outras virão. Contamos com você!
Obrigado pelo comentário no VARAL.

Bjs e bom domingo!

VeraBasile disse...

Oi Jacinta!!!! Nossa q legal esse exercício de criação! Adoro isso, pena q não pude participar dessa vez, terá outro? Ando correndo..rs..produzindo muito, mas fora da net. Mas sempre q der um tempo, vou ficar antenada por aqui...seu blog é muito bom de se visitar, a gnt sai daqui c uma sensação boa.
Bjs e uma ótima semana!!!