2.11.08

A febre, o antitérmico, o sono para não encarar o sentimento. E o dia cinza agora é escuridão. Na rua sem luz, depois do frio, o calor aqui dentro, tira-me do sonho em que o olhar testemunha a força das palavras que sempre ficam. Mergulho fundo na densidade da floresta que me amedronta. Sufoca-me, perturba-me o som quente das várias partes da palavra que, como labaredas, aproximam-se, aproximam-se, aproximam-se. Confusa, não posso tocá-la, mas sinto sua grandiosidade no cheiro que me esquenta. Multidão de bichos e gente, de flores e gente, de águas e gente, de rezas e gente, de medo, gente e aperto e eu, sem cor.

...Voltando ao mundo dos vivos, o suco de abacaxi, com o gosto de carinho das mãos de mãe, refresca e me faz esquecer a infecção na garganta. As letras me enxergam e, já não há confusão. Agora reconheço a palavra que expressa o sentimento gritando no meu coração:

Saudade

Saudade

Saudade

Saudade

Saudade

29 comentários:

Gilbamar disse...

Parece-me que brota do fundo d'alma tal brado, ou esboroa do coração. Como um rio caudaloso.

Abraços.

Sarah Vervloet. disse...

A saudade é desumana. Salta do corpo em convulsões. Mas deixa na pele a marca que nem mesmo as palavras conseguem traduzir. O que fica são belas e bem ditas palavras como as suas.


Obrigada pela visita.
Gostei desse e dos demais textos que li. Voltarei.

Grande abraço,
Sarah Vervloet.

tossan disse...

Que texto lindo! Muito lindo. Saudade, esta palavra só tem na nossa língua. bj

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Jacinta,

Cada vez melhor, os seus texto. As imagens vão tomando forma em minha mente e caminho junto com as palavras.

Parabéns por textos tão cheios de sentimento.

Um beijo!!!

Vivian disse...

...que linda maneira de
expressar o que o coração
faz brotar!!

lindo isso!

bjus

Jota Effe Esse disse...

Com toda essa saudade eu não seria capaz de dar um só passo. Meu beijo.

Osvaldo disse...

Oi, Jacinta;
Neste texto/crónica tão bonito, mesmo que você não lhe tenha dado nome eu o chamaria de Saudade porque seria prestar homenagem a palavra tão linda e tão nossa...
É incrivel como a Jacinta transformou um momento de fraquesa numa erupção vulcânica de ternura brotando sua de sua erupções a palavra SAUDADE.
Lindo demais.
bjs

Oliver Pickwick disse...

Um texto tocante. No entanto, reinventaste o antibiótico.
Um beijo!

Miguel disse...

Jacinta, fiquei com uma grande dúvida, teu texto é um poema, ou vc transformou um poema em texto?
Não faz mal. Ficou lindo de qualquer jeito.
Só me resta agora ficar tentando sentir na minha boca o gosto desse suco maternal.
Beijos

Tatiana disse...

Ahhhh que lindooooo!!!
Expressar a saudade assim é para poucos!
Uma semana repleta de dádivas ao seu belo coração!

Mei abraço carinhoso e um beijo

Celia Rodrigues disse...

Também sinto imensa saudade... de um tempo não muito distante.
Ótima semana!

Francisco Sobreira disse...

Cara Jacinta,
Além da escrita sempre atraente, o seu texto me tocou pelo sentimento de nostalgia da infância, com a lembrança da mãe, o que, se provoca a saudade, lhe dá forças para enfrentar a indisposição causada pela doença. O passado jamais nos deixa, sobretudo quando ligado à infância. Um beijo.

f@ disse...

A Saudade assim tantas vezes nos aproxima dos que amamos...

Beijinhos das nuvens

lyani disse...

Gostei muito das mudanças aqui, das cores!
Ficou ótimo!
O post, nem preciso falar, ótimo.
Bjos e boa semana!
Ly

Germano Xavier disse...

Então que venha o veneno destilado seu novamente, Jacinta...

Um carinho.
Continuemos...

FABIANA BORGIA disse...

Maravilhoso. Estou passando aqui, para retribuir sua visita. Olha, esta palavra, para mim, acaba sendo mais forte do que a palavra "amor". Não existe em inglês a palavra saudade. Só "I miss you". A língua mais universal não traz o sentimento mais universal e sublime que temos... SAUDADE. Só sente saudade quem ama. Por isso, falar de amor é redundante. Um abraço.

Eliane ratier disse...

Olá, que blog movimentado em todos os sentidos, obrigada pela visita.

Jo Bittencourt disse...

Ei Jacinta!

Moça sou só saudades, mãe, pai, amigos...ando às labaredas das palavras passadas.

Mas menina, amei o mimo, vai ficar muito bom lá no meu cantinho sim!

Agradeço, beijocas.

f@ disse...

Nunca me tirm o sonho em que é tesmemunhu a foeça das palavras... nem o sonho nem as palavras... mergulho na densa floresta... nas raízes para tornar o sonho uma realidade...neste mundo que temos...
Saudade.. que não sei dizer...
Sente-se .. aqui no teu texto tb .... emoção e sensibilidade ...

Beijinhos das nuvens

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Jacinta, vc tem razão, as pessoas quan chegam aos 60, 70, 80 e daí por diante precisam de atenção, de ser ouvidos com paciência, isso lhes faz bem, aliás a todo mundo...rssss
Saudade...esses dia li um texto em dizia o seguinte: saudade é o não saber...não resisti e coloquei dentro de um poema que fiz em parceria, achei muito legal a definição...completei assim: é o não saber por andam as flores que se perderam no outono...qualquer hora eu posto...abraços...boa noite

Eurico disse...

Lembrou-me num relance o pintor Vincent van Gogh, que trabalhava em meio ao delírio febril e convulsivo, que jamais parava de pintar, mesmo com dores atrozes, mesmo doente...
Mas tua visita sempre me faz bem lá no Eu-lírico.
Ah, estava com SAUDADE daqui!
Abraçamigo e fraterno.

Vinícius Aguiar disse...

Caramba, que linda descrição de um sentimento tão verdadeiro... emocionante! A saudade, embora tenha dois lados bem distintos, é sempre maravilhosa de se sentir... saudade de verdade só sente quem ama de verdade... e amar assim, é uma dádiva! Parabéns!

Adriano Caroso disse...

Lindo olhar, lindas palavras. Você realmente é encantadora!
Deixei uma brincadeira para você no meu blog. Beijos!

Nanda Nascimento disse...

Como a saudade foi bem descrita no seu texto, suas manifestações realmente ardem como febre.

Beijos e flores!

Luiz Caio disse...

Oi Jacinta! Como vai?
A saudade pegou a você, e pegou também a mim... De alguma forma!... Fiz um post com o mesmo tema! Mas a sua saudade me parece mais dura!

TENHA UMA LINDA NOITE!
BEIJOS.

Tatiana disse...

Passando para te desejar um dia especial!

Que os bons ventos soprem em sua direção as boas energias!

Beijinhos

Guru Martins disse...

...poisé,
tem que se
estar vivo
e saudável
para sentir
a força dessa
ponte que nos
liga a tudo e
todos...
e que confirma
a distância,
mas diz NÃO
ao afastamento,
que ora angustia,
mas também fortalece
o vinculo e faz mover
montanhas e mares,
a qual damos
o nome de Saudade...

guru

Guru Martins disse...

...Olha só:
Vc deu beleza
ao que até então
eu não tinha notado...
A realidade permanece
a mesma, mas o olhar
sobre ela muda tudo e
pode vir a muda-la também.
E voce fez isso...
É muito bom lhe ter também
no Balaio.

meu carinho

loba disse...

Que interessante! Eu estou num momento especialmente saudosista. Ler seu texto intensificou algumas das saudades.
Mas sabe que gosto deste sentimento. A gente só tem saudades do que foi bom, né? rs...
Beijo querida