22.1.09

EXCESSO

Penso muito, ajo pouco. Misturo-me às coisas, vou fazendo ao nível do pensamento e não realizo. Canso-me de fazer sem fazer. Tantas coisas a serem mudadas e, sem saber o que fazer, faço-me companheira do silêncio... Hoje, sem pensar, fui cortando tudo o que estava seco. Quase nada sobrou. Num canto, restaram a brasileirinha (um tanto frágil), a dama da noite e um cacto como sobreviventes. Sofreram com o excesso de água, mas estão lá, recuperando-se com altivez. Acho que ainda vão florir. Os outros não resistiram. Tomei coragem e fiz o que eles pediam – deixei que eles caíssem e os misturei à terra para serem transformados em adubo. Cortei, também, os secos cabelos castigados pela ansiedade. Depois me lembrei que a lua é minguante. Tarde demais, os cabelos já estavam no chão, sem vida. Melhor assim, se esperasse a lua nova iria ter tempo para pensar, e, se pensar eu faço sem fazer, penso. Agora, escutando a chuva mansa acariciando a terra fofa, sigo com os cabelos curtíssimos e os pensamentos tumultuados questionando se há excesso de carinho capaz de afogar uma vida. Sem respostas, o que faço é pensar na ausência do amado jovem – que tantos cuidados recebeu – e, inconsequente, sai por aí, exibindo na cabeça um desenho de vida sem rumo, em tortos caminhos, aventurando-se como um navegante que desafia as ondas e entra no mar sem colete salva vidas, sem água potável, sem comida e deixa-se levar num barquinho inseguro. Vejo e revejo a cena... as ondas vão se delineando na minha frente mas eu não sou capaz de fazê-lo parar. Em mim, restam sobressaltos em taquicardia e a certeza de que posso apenas no que posso: refazer o jardim que a última onda de enchente secou.

17 comentários:

Elcio Tuiribepi disse...

Esse fazer sem fazer, me parece o apena pensar e não reaçizar, mas fizeste tanta coisa...rs
Estava sumida hein! Em compensação voltou com um lindo texto, onde a reflexão fica latente quando lemos...um abraço na alma...seja bem-vinda...rs
Que o jardim seja refeito e cuidado, para que possam ser colhidas flores até mesmo antes da primavera...bom diaaaaaaaaa

Tatiana disse...

Hoje quando acordei...você foi a primeira pessoa em que pensei.
Perguntei a mim mesma: Onde andará a Jacinta?
E chego aqui e vejo uma postagem tão reflexiva quanto essa.
Eu espero que a força da natureza faça as sementes brotarem, revelando o seu lindo jardim interior!
Meu beijo carinhoso para você!

Cris disse...

Oi, querida

Posso te garantir que excesso de amor ( na forma de carinho, por exemplo, como vc disse ) não afunda ninguém , não. Qualquer outro excesso pode ser nocivo , mas o de amor , não, nunca. Só prepara, fortalece. E se não foi bem recebido, o problema já passa a ser daquele que não estava capacitado ou pronto a recebê-lo.

Beijão.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Oi Amiga
Vc cortou mesmo seus cabelos curtinho? Ou é só metáfora?
Sabe, meu jardim bem que está precisando da sua visita... eu fico na fase do pensamento e daí... você conhece a história!
Saudades
beijo

Opuntia disse...

Aff, ainda bem q vc voltou, já estava com saudade, e o seu jardim também, né? O bom é q os cactos são fortes e suas flores também, eles vão florir, verás muitas opuntias literais enfeitando o seu jardim.

Bjos

paula barros disse...

Um belo texto, com metáforas,muitos sentimentos, forte.

Me desculpe, mas me lembrou angústia de mãe.


Na medida que pensa e escreve, reflete, e muda...

abraços

Mai disse...

Vai, jacinta.

Escreve, escreve, escreve....
E isto ai...
Pensar, escrever, elaborar... e outra vez...
mais e mais......


Beijos.
Muitos.

QuincasB disse...

ação confere caráter

Eurico disse...

Até que enfim, voltou a cuidar do jardim. Sei que agora tudo vai reflorescer por aqui.
Beijo d'amigo.

Esterança disse...

Oi Jacinta,

bem vinda de volta! Gosto de vir nesse jardim, há muito não vinha,


beijo estelar*

f@ disse...

há imenso ramos secos que não consigo cortar... decerto os deixei crescer e engrossar demais... tb penso mto em fazer e deixo algo sempre pendurado... mas projectar já e bom desde que se faça, embora certos trabalhos sejam sonhos...
ah os cabelos e a LUA quem sabe assim eles crescem lentamente mas com um brilho especial...
ás vezes até os barquinhos de papel a navegar incerto e profundo encontram o seu rumo sem se desfazerem nas águas... que o amor é sempre leve e nunca de sobra...

beijinhos das nuvens

Zeca disse...

Jacinta,

esse refazer é benéfico, mesmo revivendo todo o drama sofrido, pois nos faz mais fortes e mais decididos. Como a mistura feita com as plantas que não resistiram e pediam que fossem misturadas à própria terra para transformarem-se em adubo para a vida das outras. Com certeza elas reflorescerão. Como este espaço. Como você com seus cabelos curtos. Como todos nós.

E assim eu aviso: deixei para você, lá nos beirais das janelas, um desafio. Passe por lá, pegue-o e sigamos nossos caminhos...

Um beijo. Com meu carinho.

Luciana Horta disse...

Ai! Obrigada pelo que escreveu. Neste momento vejo que penso muito mais do que ajo também...
E a vida vai passando, a chuva caindo, as flores morrendo, outras lutando! E a gente, com que flor nos identificamos neste jardim???
É... Vamos cuidar do jardim, podando sim o que não tem mais vida, mas acima de tudo plantando mais!!!
Com carinho da Lu
Obs.: Vc estava sumida! Por onde andavas?

Ana Lúcia. disse...

Jajá!!
Cortar, podar, refazer, tudo tem o intuito de gerar o poderoso "renascimento"...
Podas são necessárias!
Observar o carinho faz parte de ambos, quem doa e quem recebe, não é demais enviá-los, mas poderá ser dependendo de quem não o valoriza com a dimensão do insubstituível...
Penso, então, que você está prosseguindo por estradas férteis, e agindo de forma determinada e valiosa!
Todos os segredos do "sucesso" formam esse adubo que escorre por entre os dedos sensíveis de suas mãos. Eis o motivo básico para agradecer a vida e acreditar que tudo serão flor e cor, som e amor, afeto e sentimentos bons...
Seja persistente.
A essência da vitória não está no ato, nem no fato, mas na "persistência" em acreditar que a vitória será sua.
Beijãozinho, carinho. PAZ! Sorrisos! e VIDA!!

dácio jaegger disse...

Padrinhamigo declarado... rs, querida Jacinta, penso que reflorescer é força da natureza, benéfica, vez que o florescer tem prazo fatal seja no mundo vegetal, real ou no animal, metafórico e, vantagem, pod* Saudade deu e** Do que a vida vivida e observada permite perceber-se, o amor tem vários matizes que jamais, por mais que pareçam, têm tons iguais. As nuances são o elemento que amalgamam um casal. Pensar que podemos nem sempre corresponde. Excesso de água nos cactos os fenecem, são de regime magro de águas; humanos que recebem mais do que esperam podem não compreender o mais puro amor. Os que se vão devem seguir seu curso livre, é deles a orientação. Amar-se é imperativo, disto as sobras de distribuem. Mãos ideais irão estender-se. Beijos.

Amarísio Araújo disse...

Jacinta,tenho certeza de que o jardim será bem refeito,com as mais
lindas flores a florescerem sempre.
É sempre um prazer vir aqui e ler seus escritos,sentir os belos versos que a sua alma declama.
Um ótimo final de domingo pra você.
Beijos

jacker disse...

liver25800
longing25800
muse25800
icicle25800
fife25800