16.4.09

NÃO ME ECONOMIZE: VIVA

Tantas vezes quis morrer e viu satisfeito o seu querer: morreu. Repetidas vezes morreu, em depressivas insônias, perdendo o presente da noite ressentindo o sofrer do dia. Quanta vida rejeitada em crises intermináveis. Quanta vida desperdiçada em dias dormidos no sono adquirido em farmácia.
E, a vida, generosa, não desiste. Insiste, persiste, exigindo vigor no pulsar das veias.
E, a vida, reinante, ordena: Não me economize: VIVA. Não se angustie: RESPIRE

...agora, ela dorme e sonha. Refaz-se da letargia e se escuta.

_Ao acordar, não há como fugir.

7 comentários:

Eurico disse...

Vim te deixar o meu abraço e reflorescer contigo. Força na caminhada, amiga! Saudade do amigo oculto e da Lobíssima, que deu uma pausa no blogue dela.

Eurico disse...

Sim, estou tentando conquistar a simpatia da família. Está difícil, mas vou tentando. Já soube que eles a consideram um estorvo. Aliás, elas verbalizaram isso. E então nos oferecemos para cuidar da menina. Precisamos de toda a ajuda dos céus!!! Mas vai dar tudo certo!
Abraço fraterno.

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Parece tanto, mas é tão pouco o que a vida nos pede, não?
Beijos.

Jânio Dias disse...

Olá, Jacinta!

Muito obrigado pela visita tão agradável. Fiquei feliz com seu comentário.

E a vida é mesmo essa força incontrolável.

Um grande abraço!

Elcio Tuiribepi disse...

Não gosto de economizar vida também não, até porque ela não fica esperando pela gente, passa...e passa rápido demais, segunda chamada vem aí, com chalme ou sem chalme...rsrs
Bom domingo...um abraço na alma

Jens disse...

Oi Jacinta.
Pois é, a vida não desiste, sempre lembrando que pode ser maravilhosa. Depende de nós.
Um beijo.

EDER RIBEIRO disse...

A vida consiste nisso, morrer ao final do dia para renascer nem que seja para ser o mesmo. Bjos.