19.4.09

Luz, som, angústia, gastura em demasia. O tempo passando, vida deslizando entre os dedos e, os insuportáveis discursos, contrastando em minha voz pausada. Seguro o queixo, protejo a face. Doem nos ouvidos, assustam o olhar que precisa e quer se manter acordado, em harmonia com a realidade.

É...

Acho que desaprendi. Perdi a mão. Medo, medo, medo...constrição – e quem impera é a solidão – essa sim, companheira fiel. Sinto que está ficando tarde.

20 comentários:

Sarah Vervloet. disse...

Sentir a tarde é bem melhor do que fazer parte inteira dela. Desde que solidão e medo não se fundam, você pode continuar esperando-a, vazia como ela costuma ser...

abraços.

Osvaldo disse...

Oi, Jacinta;

Ficando tarde pra quê?!... Nunca será tarde, porque tarde é o depois.

Nós somos mais fortes que nossos medos e quando nos deixamos apreender por eles ficaremos confinados à solidão...

Então, utilizamos nossas forças para vencer os medos e quebrar as amarras dessa prisão.

bjs, Jacinta e abraça Vila Velha por mim, cidade onde já fui muito feliz.

Osvaldo

Jota Effe Esse disse...

Nunca é tarde, a vida é eterna, bola pra frente! Meu beijo.

Mai disse...

Tarde para renasceres, refloresceres? Te dizer que os partos noturnos são bem mais tranquilos. Não há o barulho agitado das manhãs.
No Outono, também florescem em cores, as flores mais fortes e belas.

Tarde para quê, mesmo?
Jacinta, envia-me teu e-mail, preciso mandar-te um presente.

Abraços,

Mai

Jens disse...

Oi Jacinta.
Está ficando tarde? Então vamos nos apressar para não perder a hora. Temos a calçada e o mundo pra correr/viver.
Um beijo.

Francisco Sobreira disse...

Cara Jacinta,
Obrigado por sua sempre bem vinda visita ao Luzes nesta data tão especial na minha vida. Lendo esse seu último texto e o anterior, fico cada vez mais "invejando" essa sua forma de escrever, sucinta, com poucas palavras que dizem o essencial, revelando ainda a sua grande sensibilidade diante da vida e o que lhe vai na alma. Mas hoje é dia de festa na sua cidade e espero que você se divirta bastante. Um beijo afetuoso. P.S. Gostei muito daquele "sono adquirido na farmácia".

tossan disse...

Tomara ser eleito
no aconchego
da tua paixão,
tatuar as nossas almas...
é inextinguível,
somos anjos...
Lembra?
tossan
Abraços

Eurico disse...

Jaci, tb não mais suporto os discursos perfunctórios e vazios. Não suporto mais o barulho que fazem os que não querem ouvir a si mesmos. A harmonia. Sim, essa é uma busca interior. E a solidão criativa, ajuda muito a se manter alerta!

Um afetuoso abraço.

Opuntia disse...

"Quem não souber povoar a sua solidão, também não conseguirá isolar-se entre a gente."

Charles Baudelaire


Bjos

John Doe disse...

descobri que solidão é uma questão de decisão, vc decide ou não estar só, e se sente só por isso... mas mesmo assim, ela é as vezes a melhor companheira...

Dora disse...

Olá! A sensação é a existência de dois extremos:o interior, com "luz e som" e o exterior, "mascarado" em politicamente correto, na ânsia de sintonização com a harmonia do real.
Um abismo de medo e de aflição que deveria colocar o grito na voz, e a necessidade do "discurso de voz pausada", que machuca os ouvidos.
O tempo passa e pode "ficar tarde". Desaprender. Perder a mão.
Tantas idéias adensando o texto, Jacinta!
Entrevi um embate doloroso, desfiado em um "discurso" quase poético, no entanto. Não acredito, pois, que "está ficando tarde". Haverá o tempo necessário para o apaziguamento e a união dos extremos. Creia-me.
Beijos saudosos.
Dora

Canto da Boca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canto da Boca disse...

"... E nua fica nossa alma
Onde a esp'rança se extinguiu,
Como tronco sem folhagem
Que o frio inverno despiu.

Mas como o tronco remoça
E torna ao que d'antes era,
Vestindo folhagem nova
Co volver da primavera..."

Nao me pergunte o porquê, mas vi similitudes entre este poema do Bernardo Guimarãres, e o seu texto...
Deve ser porque ao final de tudo, ainda não é o fim e sempre teremos tempo para as coisas gratas.
Assim como explodir em flores, na primavera!

Um beijo.
;)

Friendlyone disse...

Sentimento tão presente aqui deste lado também.

Abraço!

Nuno G. disse...

às vezes temos destas agradáveis surpresas... que lindo texto poético... PARABÉNS!
vou estar atento...

(www.minha-gaveta.blogspot.com)

Beatriz disse...

É na solidão, no contato com o nosso 'eu' mais profundo, que brotam as verdades do nosso coração. Um momento bom para se (re)avaliar tudo aquilo que já foi vivido.

Não desaprendeste, amiga, pois quem traz a poesia refletida na alma, sempre terá algo a dizer.

Fica uma rosa azul perfumando as horas dos teus dias e um beijo meu no teu coração, com carinho.

Maria Maria disse...

Olá!!!!!!!!!!!!
Desculpa a demora em vir aqui, estava com problemas no computer.
É sempre bom vir me perfumar aqui.
beijos

Dauri Batisti disse...

"Sinto que está ficando tarde".

Esta é uma palavra forte.

Há a constatação do sentir: sinto que está... Nem sempre sentimos.

Há a constatação do real: está ficando tarde.

Mas manter-se em harmonia com o real será uma tarefa árdua, sempre é, para todos, acredito.

Alguns além de sentir e pensar também fazem festa. Ando pensando que talvez o caminho seja por ai, desfrutar a alegria de pequenas festas.

Um beijo.

Ps.: lembremos que o dia sempre amanhece. Quem sabe amanhã...

Cris disse...

Oi, Jacinta,

O tarde da vida também renasce em novo...

beijo, linda.

Guru Martins disse...

..."há que se ter
muita coragem
pra se viver o medo
em toda sua profundidade
e intensidade"...

bj e sempre bem
re-vinda