22.4.09

O QUE DÓI

Quando qualquer coisa assim dói
e não se sabe onde,
nem no corpo é,
tampouco no outro lado dele
que se diz alma,
é no fim do dia que dói,
pois que o dia é parte da gente
é o membro que não se sente,
mas dói.
Dauri Batisti

18 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Oi amiga,
vim agradecer as palavras carinhosas deixadas lá no meu cantinho de rabiscos e saio daqui encantado com o simbolismo desta poesia.
Valeu e apareça por lá sempre que quiser ou puder.

Mai disse...

Eu não encontrei palavras, Jacinta.
Juro iniciei comentário três comentários e parei...
Lindo!
Beijos,

Dora disse...

Jacinta. Trazer Dauri aqui é uma delícia! Ele sabe dizer a realidade de forma tão singular, que sempre causa um estranhamento e um desafio. A dor do dia é como se fosse o-dia-em-nós, ou seja, nossa dor é causada porque estamos no tempo. E o tempo é que parece nos proporcionar a identidade. Então, se "doemos", é em cada dia que sentimos a dor. E o dia é "nosso membro" abstrato.
Acho linda a composição desse poeta!
E você é linda por nos presentear com os dizeres dele!
Beijos saudosos.
Dora

tossan disse...

Este foi o comentário que deixei lá no Dauri que gosto muito. Obrigado. Você é gente da melhor qualidade! Beijo


Dos dedos
deste poeta
dedilham
acordes da poesia
sofisticada e bela
que o coração alberga,
mesmo que acabe o dia,
mesmo que chova.
tossan

Soninha disse...

Olá, Jacinta!
Que chique, trazer Dauri para cá!
Sempre lindo!
Adoro vir aqui e ver suas flores. Parece que conseguimos, até, sentir o perfume.
Me chamou a atenção, tb, aquele bebe ali do lado, junto com seu olhar...é seu?? Lindo! Uma linda flor neste seu jardim florido e perfumado.
Muita paz! Beijosssssssssss

Crys disse...

Que belo poema!
Parabéns a vc pela bela escolha e parabéns a Dauri, pela inspiração!

Bjos, querida!

dácio jaegger disse...

Dauri em exposição é sempre uma homenagem a ele e a nós. As flores do florescer, sua vida,sua alma. Subrepticiamente até odor exalam. Continua cada vez mais bonito este jardim. Beijos.

Eurico disse...

Teu vizinho, o Dauri, é um dos melhores poetas que já li até hoje. E olhe que leio poetas há uns 40 anos ou mais. rs
O Florescer sempre me faz re/florescer.

Abraço fraterno.

Alice disse...

... bonito demaisssssss





bjus

Beti Timm disse...

Conheço pouco os poemas do Dauri, mas o pouco que vi achei lindo e ficou mais lindo ainda aqui com seu jardim e cheira a amor e sensibilidade.

Beijinhos

lyani disse...

Sou fã de Dauri!
A imagem está lindíssima...
Querida, peço desculpas pela ausência, estou estudando para um concurso e não sobra muito tempo, mas não me esqueço jamais!
E volto!
Bjos,
Ly

Francisco Sobreira disse...

Curioso, Jacinta, eu fui lendo o texto certo de que era seu, até, no final, descobrir que é de outra pessoa. É que achei bem afinado com o que você escreve. Bom você divulgá-lo. Um beijo

Cris disse...

Então, se não se sabe onde fica a dor, deixe-a. ela faz parte de um processo natural.De crescimento.

Beijão, querida.

Helder Hermani disse...

Carambe, de tua autoria?

Putz, essas cabeças iluminadas e esses corações sensíveis me impressionam... onde vamos chegar dentro do impossível, hein?

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Belíssima poesia e bela foto! Apenas para registrar, a foto tem crédito sim, pois em meu PC vejo em letras italianas, "Tossan photos", portanto não se abale com o comentário acima, dizendo que a foto foi usada sem crédito...
Teu blog continua cada vez mais belo!
Beijos

Claudinha ੴ disse...

Olá Jacinta! Obrigada pelas palavras sempre encorajadoras. Elas chegaram na hora certa!
Adorei conhecer as letras de Dauri Batisti. É daqueles poemas que se pensa "como não fui eu que fiz!". Lindo demais!

Beijos!

Beatriz disse...

As dores que não se podem identificar, que não se sabe classificar, que não se entende como surgiram... parecem doer muito mais do que as outras que sempre se dão a conhecer. Um lindo e delicado poema do Dauri Batisti.

Minha linda, meu carinho numa rosa azul a perfumar teus sonhos.

Miguel S. G. Chammas disse...

Amiga, tem um presentinho pra vc lá no meu cantinho de rabiscos.
Vai lá!