21.10.09

ANDO COM VONTADE DE CHUVA


Represado, enlouqueço. Vagueio, sem horizonte, desejando o sabor da liberdade no ritmo desprovido de máscaras letárgicas que me condicionam o percurso em margens seguras. Arriscar é preciso, sei. Arriscar, apesar do perigo, a me molhar de emoções que se reverberam em viço na pele. Pulsar sem riscos ofusca o brilho e diminui as expectativas da rede onde sou um elo importante. Quebrando a rigidez, posso deslizar suavemente por todas as células, e me alegrar no contentamento dos pelos eriçados que encantam os momentos no auge que estremece toda a estrutura. Ousado, quero a vida aspirada com prazer. Vida prazenteira, de corpo e de alma, alma e corpo que me abrigam, sendo único, em corpo e alma, pulsando, vibrando... Ando com vontade de chuva.

8 comentários:

Jens disse...

Que venha a chuva, tempestade, raios e trovões. Viver é tambem se perder, eventualmente, em um turbilhão de emoções.

Beijo, Jacinta.

Miguel S. G. Chammas disse...

Aop contrário do Jens que se vá a chuva.
Estamos atravessando, aqui na baixada sul, um periodo de 45 dias com chuvas diretas. Estou tão embolorado que já ando pensando em tomar chá de naftalina para desembolorar.

Ilaine disse...

Que lindo texto, Ah! Poetisa...
Beijo

Francisco Sobreira disse...

Mais um bonito texto, Jacinta, a começar pelo título. Um canto à forma de viver sem "represas", livre, podendo-se correr riscos, mas que deixam a alma lavada, como o corpo depois de se banhar numa grande chuva. Parabéns. Um grande abraço.

* Foi bom o lançamento. Tive a oportunidade de encontrar pessoas que não via há muito tempo. E o livro ficou bonito.

Mai disse...

Chuva é gostoso quando não dá de cair com raiva.
Chuva é bão e molha a terra.
Adoro o cheiro de terra molhada.

Adorei teu desenho.

TERE disse...

Aqui ..norte de Portugal tem chovido a bom chover!

Votos de bom fim de semana.

Ana Lúcia. disse...

Jájá!
Não só ao olhar
nem só no pensa
mas mesmo no agir
arriscar
lembra perigo
que imediatamente dá lugar ao Brilho!
Resumindo: Tentar é sempre aprender!
Deixo aqui um beijãozinho e aquele abração apertadinho....

Beti Timm disse...

Querida amiga,

ando tão frágil, tão sensível a tudo, que tenho evitado visitar aos que amo aqui. Mas o carinho me chama e como vc passo a arrisacar, mesmo que as tuas palavras me levem as lágrimas. Juntando-se tua poesia a minha fragilidade o resultado é muita emoção.


Beijos