29.11.09

EM POUCAS PALAVRAS...

Uma angústia: MEDO

E, se, não mais sobressaírem as cores? Se eu não mais reconhecer o cheiro do vermelho?


Uma alegria: ESPERANÇA

Por hora, vou abrindo a trilha e seguindo o caminho.


Uma certeza: O QUE SINTO AGORA

...sou puro coração. Pulso desejos e - alegria de viver, conviver - é o que quero, reaprendendo a arte de me aproximar com a espontaneidade, simplicidade e confiança de uma criança, na mulher que Sou.



Ah!

A frase, para o meu dia, eu peço emprestada a João Cabral de Melo Neto

"...e não há melhor resposta que o espetáculo da vida: vê-la desfiar seu fio, que também se chama vida, ...”
É isso.

11 comentários:

Eurico disse...

Refloresço e aprendo com tua criança, pois dela e nela está o Reino dos Céus.

Ando, segundo a segundo, imerso nesse espetáculo do desfiar do tênue e eterno fio da Vida.

Dauri Batisti disse...

Tuas escritas são obras de arte. Os sentimentos, a busca, se condensam em textos lindos.

Um beijo.

Cecília disse...

Lindo post!!!

Parabéns! Que Deus te ilumine sempre mais!!!
Beijosss

Jens disse...

Oi Jacinta.
Permita que hoje eu não comente o post, e simplesmente te apresente os parabéns.
Longa vida, paz, prosperidade e felicidade sempre.

Um beijo.

Mai disse...

Gosto imenso dos teus desenhos. As tuas palavras são pura poesia e citar João Cabral é um bônus.

Aqui se sente Jacinta.

beijos, amiga.

Boa semana.

Mai disse...

Então, ainda é tempo de, em poucas palavras te desejar, feliz aniversário, feliz ano que hoje começa, feliz tudo, Jacinta.

Seja muito feliz, amiga.
Parabéns!

Carinho

Miguel S. G. Chammas disse...

Jqcinta querida, teu post esta lindo, tão lindo que me resta apenas um pedido, não se esqueça, nunca, do cheiro do VERDE!

paula barros disse...

Mai me falou do seu aniversário, parabéns, por você ser você, por sua arte, por sua vida. Desejo tudo de bom.


Viver é saber lidar com esses sentimentos que colocou no texto, com as cores, e com muito mais que vai surgindo.

abraços

Opuntia disse...

As cores sempre se sobressairão, especialmente o vermelho: pulsação, vida!

Belo post!

Francisco Sobreira disse...

É isso, Jacinta, seguirmos o caminho, pois ele pode levar-nos à esperança, como faz Carlitos no final de Tempos Modernos. Mesmo com o risco de não podermos perceber "o cheiro do vermelho". E, afinal, sabermos ver o espetáculo da vida, como quer o poeta. É isso. Um abraço e um excelente restante de semana.

Luis Eustáquio Soares disse...

multicolorida, Jacinta, é sempre uma alegria ler vc, que pinta o sete com suas letras garatujas, cheias de arco-íris.
beijos
luis de la mancha