20.1.11

UM BRINDE À VIDA


Encanta-se com o  ambiente, deixando-se seduzir por um olhar, em especial. Um não, vários, que são um,  espalhados no ambiente, conferindo um quê de amabilidade refletida nos espelhos. Encontra-se, naqueles pontos de luz, e, sente-se buscando a compreensão de si. Quantas vidas vividas até aqui! Quais desses pontos sou eu, pergunta-se. Enquanto pensava que não era, fazia, agora que é, recolhe-se nos seus estranhamentos. Estranha-se na moça de Vitoria, com sua bagagem de 20 anos vividos, sonhos, disponibilidade, sonhos, empatia, sonhos, e o amante de cada amanhecer. Sim, o amante,  sua fiel companhia, reforçava seu jeito de acolher a vida com a certeza de quem ama e sabe ser amada. Estava ali, nos encantos da década, considerada por ela – a  mais romântica – a década de 1980. Nos pés, a simplicidade franciscana de quem caminha em busca do bem comum, lição aprendida nos encontros de pequenos grupos em que a tônica primava pela fraternidade e o amor ao outro. No sentimento, a tarefa/missão de reforçar o time mineiro na campanha para a conquista de um sindicato de trabalhadores metalúrgicos. Era a moça de Vitória, de férias do serviço bancário, chegando com seu sorriso fácil e olhar sintonizado com as possibilidades de escrever/fazer sua própria história, tema colocado na ordem do dia. Do tempinho para o café à caracterização foi um gole. Na cabeça e no peito, o número da chapa, estampada em boné e camiseta, e, na fala, a certeza de estar no caminho certo, fazendo a escolha pelo melhor. Na volta para casa, em mais uma noite mal dormida pelos caminhos, sentia-se contente com aquela tão suada vitória. 
...

Num toque suave em seus ombros, o retorno para quem se é. No oferecimento de uma taça, o convite para brindar ao amor, à paz, ao perdão, à vida que se faz viva no seu viver.


JacintaDantas  

14 comentários:

Dauri Batisti disse...

Estes teus escritos são lindos. Introspectivos, bem lapidados. Não são fáceis, mas são lindos.

Lúcia Elena disse...

Jacinta,
Belo texto, profundas "memórias" e a constatação de que se fez história.
Lúcia

Bordados e Retalhos disse...

A memória pra mim é tudo. E essa só você tem, está guarda pra semprte, no seu coração. Já cheguei, mais descansada e feliz por tudo que vivi lá no RJ com Vitor. Bjs

Dilberto L. Rosa disse...

Interessante costurar entre política, reminiscências poéticas e despertar infanto-juvenil, minha cara: belo texto, cheio de (re)leituras! Abraço e apareça!

Canto da Boca disse...

Narativas memoriais sempre me fascinam, há um pouco de mim mesma em cada memória alheia, porque me refaço através dos espelhos que refletem...

Beijo, Jacinta!

layla lauar disse...

encanta-me como você consegue transformar em pura poesia o cotidiano...

brindo a vocÊ, sempre! ;)

beijos, Jacinta

Paula Barros disse...

Uma trajetória, de lutas e conquistas. Uma trajetória que não se desviou de si e de fazer o bem, olhar a vida com um olhar de possibilidades e reconstrução. Foi isso que senti ao ler.

Jacinta, gosto tanto de ler teus comentários em outros blogs, sempre acho que eles captam tão bem o texto.

beijo, bom final de semana.

Luis Eustáquio Soares disse...

sempre semeando, jacinta,
floridamente,
florescendo
nascendo

belo texto
b
de la mancha

guru martins disse...

...um brinde
à vida!!!!!!

bj

Euza disse...

a cada escrito um renascer, uma saudade que encanta, canta o seu o meu o nosso hoje.
sinto um encantador amadurecer literário nestes teus escritos atuais. foi bom ficar longe e te reencontrar assim escritora.
um beijo de carinho!
ps. não sei se voltei. acho que estou matando saudades. vamos ver até onde este matar é vida, né?

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

olhares e encontros, momentos que olhos devem ficar sempre atentos, belo conto-poema

Eurico disse...

Grato pelas tuas palavras, pela tua presença.
E refloresço ao te ler.

Abraço fra/terno.

Paula Barros disse...

Querida, e eu bem que disse que gosto dos seus comentários. Sou fanzona, fanzoca do que o tal autor escreve.
Até escrevi um texto, um pouco brincalhão, sobre o ser fã. Ainda não postei. Este entra como se ele falasse comigo, algo impossível e aí vira ficção realmente.
Obrigada, beijo, bom domingo.

alaides disse...

Oi Jacinta,que bom recordar coisas agradáveis, refresca a nossa mente e nos fornece uma energia positiva . Continue amiga nesse astral a nos envolver com seus sonhos lindos.