24.1.11

TUDO FORA DE LUGAR!?


Atrás de mim, o horizonte. À frente, tratores, muitos tratores devastando, fazendo do morro uma imensa várzea e um barranco de proporções inimagináveis. Tudo tão claro e eu, confusa, entre o Mar que já não estava no seu lugar, e, a faixa de areia, larga faixa como se avenida fosse.  Terra e Mar, horizontalmente pelo avesso, provocando vertigens com olhares angustiantes de quem escuta o que está por vir. De baixo para cima, avista-se um bairro com luxuosas casas em cima do paredão de terra.  No monte , há bolo na garganta, palpitações, sudorese...

Na pele gelada 
escorre a água  
pedindo para acordar




JacintaDantas

12 comentários:

Paula Barros disse...

Sim, Jacinta, está tudo fora de lugar. Faixas de areia diminuindo, areia nos calçadões, coqueiros caídos, casas destruídas, avenidades debaixo d'água....morros deslizando, casas vindo abaixo, pessoas morrendo...outras se matando...tudo fora de lugar...

A honestidade ficando rara.

beijo

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

imagens bucolicas para falar das urgencias da vida, texto em prosa que respeira poesia

guru martins disse...

...agora é plantar
regar e fazer flores
brotar sobre novos jardins
quem sabe a qualquer momento
a natureza resolve tomar
de volta o que sempre foi dela?

bj

Madalena Barranco disse...

Jacinta, querida, e você sempre dá um jeitinho de colocar poesia na Vida... A poesia salva o coração da prosa e do mundo.

Beijos mil
Madalena
P.S.: em meu post no Pétalas, nas dicas de blogs, tomei a feliz liberdade - rsrsr - de colocar um link daquele teu post que me encantou (todos me encantam), mas aquele falou ao meu coração de forma especial "Aogra eles se vão". Obrigada!!

Everson Russo disse...

Mesmo que tudo esteja fora do lugar,,,mesmo que tudo pareca contrario,,,deixemos florescer a alma e o coração...beijos de bom dia pra ti querida.

Madalena Barranco disse...

Jacinta, querida,

Obrigada pelas suas palavrinhas!! Viu só? Seu blog maravilhoso "Florescer" também é inspiração para o meu, pois ambas amamos as flores e suas mensagens.

Ah, Jacinta, as campânulas são lindas! Elas são azuis, liláses, brancas e rosadas. Parecem frágeis, mas suas pétalas são firmes e duradouras. Adoraria "ouvir" sobre as campânulas em seu blog.

Beijos
Madalena

Jens disse...

Nem tudo está fora de lugar, como, por exemplo, a sensibilidade da terna e combativa moça de Vitória. Nas suas palavras os cantos e encantos da década de 80 - a mais romântica - sobrevivem.
Isto merece um brinde. Salut!

Beijo, Jacinta.

Claudinha ੴ disse...

Ah, Jacinta! Sua Poesia é bálsamo para tudo isto. Só você consegue expressar essa ferida com Poesia de primeira!
Um beijo!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Jacinta, obrigao pela presença lá no Verseiro...é a natureza nos dando o troco, com direito a gorgeta gorda e ainda sem couvert, o espetáculo vem de graça, pois nós fizemos nossa parte lá atrás...desde mil novecentos e bolinha quando as favelas começaram a existir nesse país...falta vontade politica...essa é a verdade...não dá voto,
Gostei do poetrix...
Um abraço na alma
Beijo

Euza disse...

ism, há sonhos que são pura realidade. o jeito é procurar o avesso do avesso. sempre há esperança.
o texto flui poesia, como sempre!
um beijo, moça!

ps. que bom saber da sua mineiridade. é minas com mar! :)

Menina no Sotão disse...

Lendo você lembrei-me da minha condição de humana, limitada as ações do outros que também se dizem humanos. As vezes, quando olho para o pico do Jaraguá aqui em SP fico com a sensação de que em breve não haverá mais o verde que eu ainda alcanço. Tenho medo disso, mas a selva humana avança sem limites. Mas a natureza em alguns momentos parece que vai fazer tudo escorrer. rs
bacio

Wagney disse...

Oi... Desejo cores suaves e fortes para meus dias atribulados e calmos, tranqüilos e agitados.
Suas palavras são sábias e bem articuladas. Obrigado por expressar seu nobre sentimento na celebração de flores e cores.
Beijão.