18.1.08

A DIFERENTE DO GRUPO



À mesa, uma animada discussão.
Pelas minhas contas dava até para fazer um “Conselho de Classe”:
06 professores e 02 pedagogas.
As crianças, brincando, nem imaginavam que o assunto preferido era elas, ou melhor, os alunos.
E com o aluno, vieram as disciplinas – português, matemática, física...
o comportamento do aluno, a participação dos pais na educação dos filhos, o salário baixo, a sobrecarga de trabalho...
Acho que foram duas horas de trabalho, digo, de discussão.
É...
Professor sai de férias e continua trabalhando, discutindo, preocupando-se.
E eu, a diferente do grupo, ao lado do meu irmão professor, fiquei observando, só escutando, saboreando a deliciosa moqueca capixaba com tudo que tinha direito: pirão, de farinha de mandioca, arroz, pimenta, limão, sol, sombra e...
O mar de Setiba.
Sem dúvida, esse janeiro é o melhor dos meus meses.

13 comentários:

John Doe disse...

eu podia viver muito bem sem ele, trabalhar enquanto todos descansam não me ajuda a apreciar esse mês, além do mais, este ano ele me parece um pouco pior que de costume...

Felipe Nobrega disse...

Ah1 vc é professora? então somos colegas... estou no terceiro ano de História Licenciatura e já dou aula desde agosto em um projeto aqui da Universidade. Valeu pela visita lá... vou te add.
abraços

[KeLLy ViAnA] disse...

Eh mEsMo,JaNeIrO Eh uM DoS mElHorEs mEsSeS,sOh FerIaS..dEmAiS,nEh??

bjOo!!

Lunna Montez'zinny disse...

Eu gosto de janeiro por causa das chuvas - no mais, lembro-me de um dizer de uma das minhas professoras que marcou-me "mestre nem sempre ensina, sempre aprende"
Acho que é assim em todo momento, nas férias ou durante o ano letivo.
Abraços meus e bom fim de semana.

renata disse...

ehehehehe...
é assim mesmo, qdo saio com minhas amigas não resistimos à tentação e o trabalho sempre vem de sobremesa...
Parabéns pelo blog
reflete sua sensibilidade!
abraços
renata

Jacinta Correia disse...

Vim retribuir e agradecer a visita e aproveitar também para conhecer seu blog. Gostei muito e, de facto, além do nome, outras coisas nos aproximam. Bj.

Cris disse...

Oi Jacinta,
sei bem como é isso. Também, quem manda ser a estranha no ninho. Mas vc soube aproveitar a melhor parte.
O visual de Setiba é mesmo inenarrável.
Um abraço prá vc e pro Evandro. Ele novinho era um gatinho, agora deve tá um gatão.
Beijo

Cris

Lúcia Elena disse...

Que dia bacana! Uma maravilhosa moqueca e que gente boa de papo! Ainda surgiu para mim um vinho delicioso, quando todos tomavam cerveja!!! O "suposto conselho de classe" foi pura descontração, já que estávamos de férias. Valeu minha viagem inteira senão as férias! Aliás sempre levo ótimas recordações desta família e agora até das amigas! Valeu pessoal!

Obrigada a todos e um bjão,

Lúcia Elena

Madalena Barranco disse...

Olá Jacinta, ser "a diferente" nos dá o poder de ver coisas que normalmente os outros não percebem! Beijos.

Plinio Uhl disse...

Não tem jeito: quando todos têm a mesma profissão, mesmo na hora de lazer discutem sobre trabalho. Mas é muito bom saber que se está ali não por obrigação, como durante o expediente, mas por opção. Bom trabalhar entre amigos com os quais pode-se passar horas e horas de folga.

Bjos

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Que inveja! Não da moqueca, mas do mar!
Estou que nem vampiro, só posso sair depois que o sol se põe.
Mas é isso aí, aproveita ´bastante seu janeiro!
beijocas

disse...

Rsrs...sei bem como é isso de estar entre vários professores! Pai, mãe, irmão e tias educadores...magina como q é o encontro da família! rsrsrs...escola, aluno, escola, educação..rsrs...bjos

APPedrosa disse...

Não é só com professor que isso acontece. Experimenta sentar numa mesa com um monte de jornalista! A sorte é que o nosso assunto é mais amplo, porque tudo é ou pode ser uma matéria. Mesmo assim deve ser duro para quem está de fora. Meu marido sempre sofre com isso, coitado,rsss