26.3.08

Mas tenho medo do que é novo
e tenho medo de viver o que não entendo
Quero sempre ter a garantia
de pelo menos
estar pensando que entendo
Não sei me entregar à desorientação
Clarice Lispector

20 comentários:

Poetisa da Alma disse...

Lindo!
Seu cantinho esbanja beleza!
Meu terno carinho

Paulo R Diesel disse...

Medo do que é novo.Do que não entendo.

Bem captado, Jacinta

VeraBasile disse...

Oi Jacinta!!!
Tudo bom?
Seu blog está cada vez mais perfumado...
Adorei esses versos da Clarice!
Mil bjs
ps:Logo volto a blogar..rs

benechaves disse...

Sempre é bom uma leitura da Clarice Lispector, seja na prosa quanto na poesia.

Um beijo florido...

Célia de Lima disse...

...de pelo menos estar pensando... Aqui eu sinto tudo com aroma dos mais bem cuidados jardins. Linda a escolha! Felizes todos os tempos pra você! :-)

adelaide amorim disse...

Olá, Jacira! Por pouco não sinto o perfume de seu jardim ;)
Beijo!

Ilaine disse...

Jacinta!

Por falar em seu blog... Já na primeira vez que vim aqui, encantei-me com o fundo verde que combina com suas flores. É agradável, faz bem aos olhos. Bonito!

Clarice, sempre Clarice. Infinitamente.

Abraço

Lunna Montez'zinny disse...

Bom dia - a manhã chega com tons de nuvens e raios de sol que perdem-se vez ou outra e vez ou outra ilumina a grama que segue esperando a chuva e eu chego aqui e encontro Clarice - essa que sempre me fala da horas inquietas, do momento junto a carne que ferve em desejos que buscam por um sentido no cotidiano e nem sempre encontram. Eu sou esse, ela parece dizer. Mas bem que queria ser outro, parece deixar claro nas entrelinhas.
Beijos e obrigada pelo presente nesta manhã...

Alex Sens disse...

Nesse ponto não combino com Clarice, não mesmo hehe. Beijos, Jacinta.

Layla Lauar disse...

Adoro Clarice!

Lispector...ultimamente ando com mais medo do conhecido do que do desconhecido.

Beijos mil, adorei seu post anterior, deixei lá um recadinho.

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Jacinta...tem um recado lá no blog...concurso de conto e poesia, se te interessar...basta clicar e participar, 20 reais por cada texto...acho que vou arriscar...valeuuu...um abraço na alma

Luis Eustáquio Soares disse...

olá, jacinta... é no caos da escrita, ou com a escrita no caos, expressando as desorientações do mundo, que o medo se faz arremedo de medo, e vc orienta o sul no norte, o leste no oeste, na paz de um vôo de entôo.
meu abraço e obrigado pelas encantadoras e poéticas presenças, sempre,
b
luis

Eurico disse...

Oi, Jacinta.
Belas imagens, flores, Clarice...tudo com muito bom gosto.
Abraçamigo.

Dauri Batisti disse...

Você vai fazendo seu caminho, e ele será cada dia mais a síntese da audácia e do medo.

Alice disse...

E a Clarice fala por todo mundo. Adorei esse post, Jacinta e desorientação, até que gosto. Mas só da boa desorientação.

Bjs...
Letícia

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
É incrível, Clarice tem palavras para tudo...
Beijos!

Nanda Nascimento disse...

Um ótimo final de semana!!!

Beijos e flores!!

Madalena Barranco disse...

Oh, Jacinta, nada como a Clarice para ajudar nas reflexões... Beijos.

ocasodoacaso disse...

Mas o novo sempre vem...
É inevitável e enriquecedor também!

Germano V. Xavier disse...

A gente vai, e volta, e vai, e volta novamente... e a percepção da perdição é boa em mim...

Adorei, Jacinta!

Beijos no coração!

Germano