19.6.08

ELA DORMIA...

Foto: Martinha Fri
Gostava de se ler, assim mesmo, em páginas em branco. Pouco tempo se passara desde que adentrou nesse plano e tudo estava para ser escrito. O período era de expectativas: um dia qualquer do ano de 1979. E, a vidinha no morro, continuava na mesmice de sempre, vivida na sua meninice sem fartura , sem beleza e poucas perspectivas na vida da menina que apenas sonhava com alguém que fosse maior que tudo aquilo, maior que a mediocridade daquela vida de tantos medos. E, de tanto ter medo da fome, engolia tudo que lhe aparecia, inclusive o vento e a presença do outro, sem se dar conta de sua maior fome. Num único dia, pronto, perdeu-se de si, perdeu-se dos sonhos
e...

para fugir da solidão ela dormia, dormia entorpecida, mascarando a dor, mas não queria morrer, queria acordar noutro lugar e encontrar, naquela vida mesmo, o Santo que, alguém lhe disse, mostrava o caminho onde se podia encontrar pão e amor. E mais não teve. Dormiu...
E mais, não sonhou.

31 comentários:

Graziele Alencar disse...

Às vezes, a vontade de morrer é somente a de morrer pra uma vida e acordar em outra. É como querer dormir demais, pra viver no mundo dos sonhos ou não viver em mundo nenhum, porque não se sabe aonde ir...
Beijos.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Lindo, lindo e triste. Talvez por eu me ver na menina, só talvez...

Que ironia, a gente tão perto e "ainda por conhecer". Precisamos dar um jeito nisso.
Adoro essa janela... tenho fotos lindas feitas de lá. Descobri outra, bem parecida, na igreja de Anchieta.
beijos e luz

F. S. Júnior disse...

eu tenho estas vontades de vez em quando, de dormir bem muito, anos, pra dali acordar noutra vida...

João Videira Santos disse...

Se o sono tivesse a eternidade do nosso desejo...momentos haveria em que "hibernaríamos"

Zeca disse...

...e a menina encontrou a solução da Bela Adormecida, que só acordaria dalí a cem anos, com tudo mudado, inclusive sua vida. Só não contava com a possibilidade de que sua vida poderia estar diferente e não para melhor...

renata disse...

Olá jacinta, reconheci imdiatamente esta janela... de dentro do convento da Penha... Linda foto!!!!
Muito bonito o texto também, desejo que este eu poético desperte e olhe por esta janela, e veja o mundo se ofertando e desperte de seu sono de princesa...
beijos
re

Mel disse...

Às vezes é só o que podemos esperar. ..

Gostei muito.

...

Moacy Cirne disse...

Puxa, demorei um pouco para (re)aparecer por aqui e vejo uma nova "roupagem gráfica"... Gostei. Coomo gostei da sua mais recente postagem. E agora me vem a pergunta: o que fiz de mais importante em 1979? Não vale pensar num dia qualquer... Sonhar, eu sonhava. Beijos.

mundo azul disse...

...seu texto tocou fundo a minha alma! Lindo, triste e expressivo...
Beijos de luz e um final de semana maravilhoso!!!

Niguel disse...

Embora triste, seu texto é um poema à vida e à morte já que uma e consequência da existência da outra.

Layla Lauar disse...

Nossa!!! totalmente encantada por esta sua belíssisma prosa poetica. Amei!

beijos querida

Poesia! disse...

bom dia!
gosto muito do sua pagina!
sou adm. do blog “o fogo anda comigo”(thefirewalkswithme.blogspot.com).
o blog tem como ideal um SARAU AMPLIFICADO onde TODOS divulgam suas ideias e, o principal, poemas.
gostaria de ser um parceiro seu!
OBRIGADO!
ofogoandacomigo@yahoo.com.br

Luma disse...

Sem sonho, sem pão e sem amor? Mas que desgraça!! :( Espero que em 30 anos a história tenha mudado de curso e ela tenha acordado um dia cheia, farta de sonhos! Bom fim de semana! Beijus

Dauri Batisti disse...

"Pra fugir da solidão..." como se fosse possível. Vivemos esta ilusão, ou sonho, não sei.

Mary disse...

Em algum lugar do texto, achei Clarice...
Beijos, Jacinta.
;)

Luis Eustáquio Soares disse...

encontrar pão e amor, amiga, e ainda nos combatemos, e ainda nos matamos, e ainda nos odiamos, porque queremos mais: seqüestrar pães e amores.
meu abraço de bom final de semana
luis de la mancha.

Francisco Sobreira disse...

Interessante, Jacinta, muito interessante essa perda dos sonhos, os que representam desejos e os que vêm do sono. Mais um texto de qualidade, tanto no tema quanto na escrita. Um grande abraço.

Francisco Sobreira disse...

Interessante, Jacinta, muito interessante essa perda dos sonhos, os que representam desejos e os que vêm do sono. Mais um texto de qualidade, tanto no tema quanto na escrita. Um grande abraço.

Francisco Sobreira disse...

Interessante, Jacinta, muito interessante essa perda dos sonhos, os que representam desejos e os que vêm do sono. Mais um texto de qualidade, tanto no tema quanto na escrita. Um grande abraço.

Cássio Amaral disse...

Bacana seu blog, seja sempre bem vinda no Enten Katsudatsu. Depois volto aqui tbém. Beijo e bom domingo.

Madalena Barranco disse...

Querida Jacinta, é criativa sua visão dos sonhos e do sono eterno... E por isso você me faz refletir sobre a realidade dos sonhos e vice-versa... Beijos - adoro seus textos.

Claudinha disse...

Olá! Trsite não é? Mas a forma de contar é linda. Eu tenhomedo de dormir e não acordar nunca mais de algum pesadelo, mas se for um sonho bom, deixe estar!
Um beijo!

eder ribeiro disse...

neste conto minimalista me emocionei, não tenho mais palavras para comentar. bjos.

Célia de Lima disse...

Hoje mesmo eu pensei que a gente faz o nosso caminho.. Mas agora penso que nem todos estamos prontos para fazê-lo sozinho. Muitos de nós precisam, sim, da luz que outros olhos viram antes, porque alguns caminhos são muito mais escuros...
Que texto, menina! Dizer mais o quê?
Obrigada por tudo o que senti e repensei aqui...

loba disse...

Triste, real e bonito texto! Dá um nó na garganta... e cresce a impotência.
Sonhar é preciso... mas há situações em que o sonho é não acordar. E quem pode dizer que este é um sonho que não se deve sonhar?
Beijo moça!

Beatriz disse...

É triste a percepção de que se perdeu tudo... até a capacidade de sonhar!

Um texto que nos faz refletir sobre a nossa própria vivência, sobre aquilo que se sonhou, sobre o que se perdeu, sobre o que esperar. Um texto que planta a nostalgia no nosso olhar!

Ficam sorrisos, flores e estrelas, amiga, enfeitando o teu final de semana. Um beijo no coração!

Dora disse...

Ela dormia...Dormir é um jeito de contornar a insipidez da vida, a fome imensa de tudo, a vontade de existir plenamente...Você desenrolou essa idéia em uma personagem e eu, claro, pensei naquela que parece ser "leitura preferencial"...na Lispector. Na Clarice. Na escritora que nos deixa a refletir. Como você faz conosco...
Beijos, querida!
Dora

Emanuel Azevedo disse...

Lindas fotos e lindo Blog. Parabéns e um abraço.

Adriano Caroso disse...

Que saudade do Florescer. Passar alguns dias sem vir aqui me deixa com uma falta danada do cheirinho de amor que emana das suas palavras e suas flores. Mas eu estou vivo minha amiga e, mesmo de longe, sempre tenho vontade de te ler. Esse texto me deixou sem ar. LINDO! Beijos!

Leila Lopes disse...

Sonhos são a casa imensa do refúgio.
Lugar inusitado.
Divago aqui nas tuas linhas.
Beijo e obrigada pela presença, Jacinta.

Diz disse...

Bonito texto. Segui vc lá do Sobreira. Ou teria sido de outro lugar? nem sei... :)
abs, Laura Diz