2.6.08

Quando partiu, levava as mãos no bolso, a cabeça erguida. Não olhava para trás, porque olhar para trás era uma maneira de ficar num pedaço qualquer para partir incompleto, ficado em meio para trás. Não olhava, pois, e, pois não ficava. Completo, partiu.
Caio Fernando Abreu

12 comentários:

Miguel disse...

Partir é um dos verbos mais indigestos do nosso vocabulário.
Lewmbra, tristeza, abandono, saudade, solidão.

Dauri Batisti disse...

Caio Fernando Abreu. Velho Caio. Lembro dos anos oitenta na UFES. Lindos anos, de sonhos, projetos e leveza.

Carmim disse...

Sou uma apaixonada por CFA, admiração total por tudo o que ele escreveu.

Um beijo.

Beatriz disse...

Se o Caio Fernando Abreu falou, não há como discordar. No entanto, difícil imaginar alguém que parte sem que deixe pedaços de si pelo caminho, quando não os deixa de onde partiu.

Como disse o Miguel, partir lembra tristeza, abandono, saudade e solidão.

Ficam sorrisos, beijos, flores e estrelas, para enfeitar a tua noite.

Zeca disse...

Já partí assim e sei o quanto dói...

balboa disse...

Não sei se alguém mais percebeu. De qualquer maneira, eu estava tão sozinho dentro daquilo que tudo que percebesse seria somente meu. O detalhe.

Caio Fernando Abreu

VeraBasile disse...

É....realmente a melhor maneira de partir é não olhar pra trás...se é q existe alguma maneira de partir ou ser "partido"..rs..sem se despedaçar.
Beijo enorme de saudades desse seu espaço. Logo estarei postando novamente...(os pedaços estão sendo colados c super bonder..rsrsr
bjs,bjs,bjs

NANDO DAMÁZIO disse...

Bela frase de um grande autor ..
Abração !! ^^

Dora disse...

Partir é sempre decisão dura. Mas, é necessário partir "por inteiro". Pois se não...seria como ficar "um pouco"...
Tá certo isso.
Não olhar para trás, não deixar resquício. Nem marcas.
Resolvido.
Beijos.
Diora

Lunna Montez'zinny disse...

Gosto de chegadas e partidas - das chegadas porque acrescentam algo a nós e da partida porque sempre fica algo e algo de nós sempre segue adiante. Gosto disso, muito mesmo.
Abraços meus

Layla Lauar disse...

Jacinta..amo também o Caio Fernando de Abreu..e para partir completo e só ir embora antes de acontecer, acho.

Ana Carolina Braga disse...

Olá Jacinta!

Eu também gosto muito do Caio e faço das palavras de uma escritora, a qual, leio o blog dela também, faço das palavras dessa moça as minhas...quando ela diz assim: "O Caio Fernando Abreu é um escritor que eu leio e me dói. Dói de doer, dói de doído, dói de bonito, dói de saudade. É impossível ler algumas linhas, frases, contos, trechos e não pensar meu deus do céu, que homem é esse? Sensível, intimista, belo. Fico perplexa, releio e, de repente, sinto um “tapa na cara”. Caio novamente te apontando verdades e causando identificações. Você lê qualquer coisa, se identifica e sente uma tremedeira interna porque algo te incomoda, te toca fundo e te deixa boquiaberta"....

Abraços!