14.11.08

CHORO DAS ÁGUAS


O leito, ocupado por insensatez,

areia

bichos e plantas engasgados,

lama, lágrimas

entregues à vontade de quem se diz

humano.


14 comentários:

Éverton Vidal disse...

Oi Jacinta! Sim já te conhecia através do Adriano Carôso, inclusive gostei desse poema que ele escreveu e dedicou a você. Só estava faltando a visita rs.

Quando vc me visitou eu estava em silêncio, por isso só apareço agora.

As águas choram, mas sao fortes, têm a potencia de virar correnteza por meio do excesso de choro. Entao, o leito pode ser inundado.

Voltarei.
Inté!

[ rod ] disse...

Quem se diz humano certamente não compreende os anseios, as dores e as glórias que os anjos enxergam.

E eu enxergo tanta coisa...

Obrigado moça por atender ao chamado.


Novo Dogma:
o caminHo secreTo do eXistir...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Eurico disse...

Erguemos grandes túmulos à beira dos rios e os batizamos: Cidades.
Abraçamigo e fraterno.

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Jacinta,

Então precisamos cuidar mais e perceber com a natureza humana.

Isso basta?

Um beijo com carinho!!!

CeciLia disse...

Também é do humano - e principalmente dele, minha querida Jacinta - a imperfeição. Aquela que sangra as águas, engasga os bichos,esturrica od leitos dos olhos das crianças nos sinais. Ah, como é humano tudo isso!

PS: algumas imagens do Lua são do milimagens (www.thousandimage.com) outras são de alguns amigos, fotógrafos profissionais ou não, outras ainda são desta que escreve. Beijo na alma

Carlinhos do Amparo disse...

Fizemos algo lá no sítio que gostaria que vc visse, amiga do nome de flor!
Abraço fraterno.

Kátia Campos disse...

Obrigada pelas palavras carinhosas.
Foi um presente nesta manhã de sábado.
Você é gente que sente e faz sentir; com certeza voltarei por aqui.
Abração!

Juliêta Barbosa disse...

Jacinta,
Passei aqui rapidinho só para te agradecer o comentário no meu blog. Gostei do que li e volto com mais tempo para um comentário.Um abraço

tossan disse...

Quem se importa
com a chuva
que lava
a sujeira
da terra,
que o homem
faz e o
vento traz?
Quem se importa...

Beijo

Mai disse...

Oi Jacinta, depois do que lí aqui eu afirmo: novata aqui, sou eu. Oh! amiga, eu sou aquela eterna aprendiz, recém navegante, que aos poucos vou aprendendo com os poetas que passam itinerantes, pelas estradas onde agora os encontrei.
Carinho,

mundo azul disse...

Em poucas palavras você construiu um poema denúncia...Excelente!


Beijos de luz e um domingo feliz!!!

Pavón disse...

Engasgo com muitas coisas, e muitas delas pensa traduzir em lagrimas ou na falta delas...
Causa é sempre o ser humano, mas ele tbm me causa bens imensuráveis!!

Beijos

Opuntia disse...

É... as águas estão chorando muito ultimamente.

Bjos

lyani disse...

Nossa!!!
Que forte, que lindo!
Adorei principalmente a parte do que "se diz humano"
Parabéns!
Boa semana
Ly