15.2.09

COISAS NOVAS

Quero construir frases e textos bonitos, que exalem alegria pelos poros, oxigenando a morena pele que me reveste e escancara a mistura de raças que sou. Quero dizer coisas novas, diferentes do meu último texto, relato perplexo da degradação do homem que se coloca na condição de caça para outros homens, e, outros homens colocados em posições delimitadoras de limites, sendo protagonistas de escândalos que promovem a falência da Lei. A mim, causa indignação e, se, não me cuido, traz também amargura. Escrever alivia minhas dores, eu sei, mas quero descrever o que me afeta nas dores do mundo, de um jeito leve, sem sentir o peso da dor. Pura confusão de quereres. Ando inquieta, querendo voar num voo sem acento, tranquila sem trema – ou – sem tremer nas alturas, observando de cima, bem do alto, o que meus olhos alcançam, deixando-me afetar pelas cenas que me proporcionem prazer no viver. Ah! Como quero testemunhar brincadeira de crianças no recreio da escola, choro e risos na euforia de abraços entre veteranos e calouros que acabam de entrar na faculdade, portas e janelas abertas em casas arejadas, abençoadas pelo sol da manhã. Quero ter a certeza que ele... é, ele, que insiste em permanecer menino inconseqüente, perdido na encruzilhada, busca acertar sua trilha e faz seu caminho, tornando-se Homem.

É...
confusa no meu querer, meus olhos veem, (Enxergando livre e leve), que nesse instante, alheios à crise, as folhas secas caem e o vento amplifica a voz dos pardais que entoam a sinfonia anunciando...
“Quando a Lua estiver na sétima casa e Júpiter se alinhar com Marte, a paz guiará os planetas, e o amor moverá as estrelas”.

14 comentários:

Elcio Tuiribepi disse...

Faça um vôo com as retic~encias, assim ele nunca terá fim, caso não d~e certo, amanhã é outro dia, novo sol...novas paisagens...novo tudo...um abraço na alma...bjo

Jens disse...

Oi Jacinta.
Por vezes é difícil manter a serenidade e a alegria diante do turbilhão de violência, miséria e injustiça que nos cerca. Mas é preciso administrar a indignação e domar o desencanto, não apenas para manter a sanidade mental, mas também em nome do direito irrecusável de buscar a felicidade. Endurecer sim, porém sem perder a ternura e sem abdicar da alegria e da esperança. Complicado, mas possível. Assim é a vida. Quem sabe agora, na Era de Aquarius, se inaugure um tempo de harmonia e compreensão? Seja como for, desesperar, jamais.
Um beijo.

Dauri Batisti disse...

... e, ele, que insiste em permanecer menino. Pois é. Este é um fator complicador.
Mas, a ultima frase - citação - é uma luz.

beijo

Osvaldo disse...

Jacinta;
Escuta, "minina", tu não precisa escrever mais nada, porque tu disseste tudo o que a humanidade precisa escutar...
Esta crónica de desabafo e mesmo de uma pequena revolta, põeem a nú teus belos sentimentos do rumo que um Mundo Justo deverá tomar. Gostei imenso do teu texto que é digno de abrir uma conferência sobre a paz, a igualdade e a justiça e, sobretudo, muito humano.
Áh,... gostei imenso da tua frase; "oxigenando a morena pele que me reveste"... Lindo !.
Parabéns, "minina".
bjs
Osvaldo

Eurico disse...

Isso! Refloresça, Jacinta! O Sol, sendo o mesmo, é novo toda manhã.
Beijo d'amigo.

Beti Timm disse...

Minha doce amiga dos olhos lindos,

estamos sempre inquietas, nossos corações batem sempre como as asas de um colibri, como ele tentando nos equilibrar nas emoções. Nos confundimos entre o certo e o errado. As vezes acertamos e em outro momento erramos querendo acertar. Somos humanos,mulheres, inquietas, apaixonantes, apaixonadas, e estamos em momentos pelos cantos,chorando e aprendendo a viver. A cada passo reerguemos nossa dignidade, mesmo chorando nossas dores.

Beijos inquietos

Tatiana disse...

As sementes estão germinando!
Uma nova semana inicia... E com ela a oportunidade de novas realizações.
Desejo uma semana repleta em dádivas para você!

Um beijo carinhoso

Mai disse...

A admiração é recíproca. Também percebo avanços e muita luz ao teu redor.

És mesmo linda, amiga.
Sensibilidade e talento que transbordam.

Carinho,

Mai.

Crys disse...

Renovar é preciso... seria essa a proposta???
As vezes é preciso ter o olhar de poesia, pra não ter que dividir as amarguras que por acaso passam em nossas vidas...
Belíssimo texto, com uma leveza imensa!

Beijos, querida!

Soninha disse...

Olá, Jacinta!

Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe, já dizia o velho jargão popular.
Por isso, recomeçar é sempre o melhor a fazer, sem dúvida, nunca deixando apagar a chama da esperança de nossos corações.
Excelente semana!
Muita paz! Beijosssssssssss

Cris disse...

Jacinta,

Gostoso ler voce.leve, verdadeiro, poético.Esse texto é um grito de vida . Adorei.

Boa semana. Bj

Francisco Sobreira disse...

Pois é, Jacinta. Que bom seria para o escritor se ele vivesse numa Pasárgada, como desejou Bandeira num dos seus melhores poemas. Mas o escritor, além dos seus problemas íntimos, dos demônios que precisa exorcizar, ainda tem, sensível que é, absorver e retratar os terríveis dramas e sofrimentos de outras pessoas. Felizes são os pássaros. Um beijo.

Miguel disse...

Jacinta, estou voltando aos poucos mas adorei vir até aqui e te ler.
Satisfazendo sua curiosidade lá no AO CARNAVALESCO eu era nada mais nada menos que O PINGUIM!!!
Já Desconfiava????

paula barros disse...

Por mais que esteja confusa e aflita, tem escrito muito belo, mostrando a vontade de voar, de seguir, de descobrir e descobrir-se, assim percebi.

Em busca da paz interior e transmitindo paz. Bom voo.

abraços