17.2.09


DEVANEIOS

Quando o coração sinaliza aflição
e o crepúsculo parece demorar além do tempo


dou asas aos devaneios
e...
enquanto a crise não passa
faço-me , revejo a vida
admirando a força e a beleza do cacto

18 comentários:

acqua disse...

E eu fico em silêncio porque as vezes é tudo que precisamos fazer para compreender a nós mesmos e as nossas sensações diante do que é belo. Interpretar as vezes é coisa para a alma e não para os olhos, embora passe por eles. Abraços meus...

LUiA disse...

E eu escrevo meus devaneios para tentar me refazer...
Aí começo a perceber que tenho a força do cacto dentro de mim!
Abraços de LUiA

Ramon Alcântara disse...

Pois o cactus também chora líquido!

Mai disse...

Pois com tanta beleza eu penso é no amanhecer e não no crepúsculo, amiga.

Lindo isto que estás escrevendo. Já há dias percebo maturidade e força na escrita de uma borboleta que antes casulo, talvez não tivesse forças bastante para alçar vôo.
Está linda a tua palavra e as imagens que consegues projetar.

Muito, muito bom.

Continua a fazer-te mas, enquanto um novo sol, não esquenta o dia.

Beijos e muito carinho.

Mai

Jacinta Correia disse...

"faço-me, revejo a vida" - a introspecção é a chave para a porta que podemos abrir a seguir. Um bj

Tatiana disse...

Eu também gosto de admirar a beleza dos cactus...que apesar de espinhos guardam em si a riqueza das águas!

O seu está a florir...que maravilha!!!

Beijos

Miguel S. G. Chammas disse...

Tem um presentinho pra vc no meu cantinho de rabiscos. Vai lá!

Miguel S. G. Chammas disse...

Tem um presentinho pra vc no meu cantinho de rabiscos. Vai lá!

Osvaldo disse...

Oi, Jacinta;
Tens razão, pega teu tempo, olha os lírios dos campos, aprecia a leveza do beija-flor e escuta o canto divino dos rouxinóis e enquanto isso,... a crise já passou.
bjs
Osvaldo

Soninha disse...

Olá Jacinta!

A crise tem me tirado o sono...
Boa idéia esta sua...admirar a força e beleza das plantas, das flores...o pulsar da criação.
Gostei muito!
Muita paz! Beijosssssssssssss

Amarísio Araújo disse...

E eu me refaço,admirando a beleza que há por aqui,que sai da sua alma,derrama dos seus olhos,exala como um doce perfume da sua pele morena.

Jacinta,ainda não encontrei as palavras certas para falar dos grandiosidade dos seus textos,da sua poesia.Sei que não encontrarei.
Por enquanto,vou deixando um humilde muito obrigado pelo prazer que você me proporciona toda vez que aqui venho.
Estive ausente,perdoe-me.Já estava com saudade.

Beijos com carinho e admiração.

Dauri Batisti disse...

...enquanto a crise não passa, enquanto o cactus é só espinho, enquanto se aguarda a floração...

Que a flor do cactus logo desabroche.

Um beijo.

Jens disse...

Vai passar, Jacinta, vai passar.
Um beijo.

Beatriz disse...

É o melhor que se tem a fazer, minha linda, enquanto a crise não passa, fazer um balanço do que tem sido a nossa vida, rever posições, descartar projetos que não mais se associam às nossas expectativas, elaborar sonhos passíveis de se tornarem reais, enfim, fazer da pausa que nos chegou e parece toldar todos os nossos movimentos, aquele momento perfeito para uma reflexão positiva do que estamos vivendo.

Devaneios teus, meu anjo, ensejando também os nossos.

Está tudo tão lindo por aqui!

Beijos e flores no teu caminhar!

Beatriz disse...

É o melhor que se tem a fazer, minha linda, enquanto a crise não passa, fazer um balanço do que tem sido a nossa vida, rever posições, descartar projetos que não mais se associam às nossas expectativas, elaborar sonhos passíveis de se tornarem reais, enfim, fazer da pausa que nos chegou e parece toldar todos os nossos movimentos, aquele momento perfeito para uma reflexão positiva do que estamos vivendo.

Devaneios teus, meu anjo, ensejando também os nossos.

Está tudo tão lindo por aqui!

Beijos e flores no teu caminhar!

Cris disse...

Oi, linda...

Tudo bonito e fresco por aquí .Teu blog cheira natureza.
O cactus também dá flor, e frutos também, sabia?

Admiro voce.

beijão.

paula barros disse...

Uma inteligente e linda forma de lidar com a aflição, e vou por aqui aprendendo mais essa.

abraços

Ana Lúcia. disse...

JáJá!!
Devaneios nos refazem...
São borracha bem vinda, que apaga a ferida mal escrita...
São mensagens curtinhas, que valem um aprendizado singelo e eterno...
São sombras que acalmam o calor exagerado do sol em excesso...
São luzes que guiam os passos tímidos e inquietos...
Devaneios são maravilhas que respiramos no momento da pausa da alma!!
Beijãozinho e abração apertadinho.