17.8.09



Venha, fique aqui pertinho e olhe. Sei que andei maltratando-te. Negligencio, comprometendo teu pleno desenvolvimento, ofuscando teu brilho, teu viço e a tua suavidade no visgo que me escraviza em repetidas tentativas de matar em tu o que desagrada em mim. Síndrome de "Macabéia" esperando a felicidade por veredas estrangeiras, vou arrancando-te pela raiz, no desesperado ritual para aliviar a tensão por tantas frustrações, desencontros e medos. Uso-te. Abuso de ti esquecendo que tu e eu somos sinergia entrelaçada. Castigo-te pelos nós que encontro sem me dar conta que teus fios enrolam-se, encolhem-se com minha insensibilidade. Mantenho-te preso para defendê-lo de mim. Mas, venha, não tenhas medo. Prometo-te parcerias saudáveis. O cuidado, que não mais exercitei, revela-se poderoso aliado, mostrando-me que está por perto o tempo todo. É só escutar e reconhecer sua presença no silêncio que fala a ti e a mim. Não desistas de mim. Tu tens sido tão resistente, persistente. Mato-te e voltas, sofrido, fragilizado, quebradiço...mas voltas. Somos mais que um, eu sei, precisas de mim como eu preciso de ti.

10 comentários:

Mai disse...

O olhar atento, os olhos e a tua arte está crescendo à olhos vistos (risos)...

E eu fico esperando que escrevas e tens demorado, é fato. Mas se for para escreveres assim e se tua arte se ampliar assim, sempre valerá a pena esperar, Jacinta.
.
Depois tu sabes o quanto teus olhos no slide, se destacam e chamam a atenção. E aqui não foi diferente. Há olhos na arte, no texto e os meus olhos degustaram um e outro e eu gostei do que li e senti.

Beijos, amiga.
Saudades.

Francisco Sobreira disse...

Você aborda a sempre presente questão do antagonismo amor/ódio, escrita no seu estilo peculiar: econômico, dizendo só o essencial. Um beijo, Jacinta.

Osvaldo disse...

Jacinta;

Estou de acordo com a Mai. Se para te ler, leva tempo, vale a pena esperar, porque tu escreves prazeres de leitura para quem tem o prazer de te visitar.

É maravilhoso a facilidade com que nos transmites tuas crónicas que nós, simples leitores, nos deliciamos.

bjs, Jacinta,
Osvaldo

Jens disse...

Oi Jacita:
Texto denso e conclusivo - os opostos não apenas se atraem como dependem um do outro.

Um beijo.

Eurico disse...

Oi, Jacinta. Belo texto. Bela arte. Sempre que venho saio reflorescido.

Abraçamigo e fra/terno.

Paulo Vilmar disse...

Jacinta!
Leio, releio e interpreto! E volto, porque teus sentimentos tem o poder de influenciar os meus... Sempre é belo o que escreves!
Beijos

Aline Christal disse...

eu ESTOU COM SAUDADES DE VOCÊ...
Sumiu!... :-(

sempre delicada com as palavras e agora para completar estas lindas obras, alíais das duas ultimas são tão "fofas".

Bom final de semana!

Cris disse...

Oi, querida,

Ele não vai desistir : está claro sua escolha.

Beijo, linda

renata disse...

OLá jacinta, que surpresa maravilhosa conhecer a sua obra!!!
estás de parabéns...
OLha, venha me visitar no Letra e fel que tenho uma boa noticia!!!
Beijos

Giovanna Valfré disse...

Estou amando entrar nesse canteiro hoje para sentir a suavidade e a grandeza do que você coloca aqui. Bjs